Vídeos de marca: quais os aspectos a serem considerados

ANÚNCIO

Mais do que a maioria das áreas de marketing, o marketing de vídeo ocupa uma pequena porcentagem.

Antes da primeira câmera rolar, uma estratégia deve ser acordada que alinhe o propósito, o escopo e o orçamento. Um gerente deve encurralar a equipe criativa. Um escritor deve elaborar o enredo ou copiar. Um cenógrafo precisa descobrir os adereços.

ANÚNCIO

Lembre-se, isso é antes de começar a filmagem. Depois da filmagem, vem o áudio, a edição, a análise e muito mais. Entre os dois, há um número quase infinito de lugares onde os vídeos de marca podem dar errado.

Vídeos de marca: quais os aspectos a serem considerados
Foto: (reprodução/internet)

Onde os profissionais de marketing erram

Os profissionais de marketing podem não ser capazes de impedir que uma má atuação prejudique uma filmagem, mas podem fazer sua parte para apoiar a equipe de criação e criar vídeos eficazes. Evite estes erros comuns associados ao planejamento, teste e ajustes de vídeos de marca:

1. Definição de metas não específicas

As marcas criam conteúdo de vídeo por diferentes motivos. Alguns, na esperança de estimular as vendas de produtos, usam conteúdo de vídeo de desempenho para encorajar cliques de sites sociais.

ANÚNCIO

Outros buscam o reconhecimento da marca, o que conseguem por meio de tudo, desde depoimentos de funcionários a curtas de animação. Outros ainda desenvolvem webinars para comunicação educacional ou relacionada a eventos.

Seja qual for o objetivo do seu conteúdo, uma vaga declaração de propósito não o ajudará. Supondo que você esteja interessado em conscientização, quantas ações ou curtidas você consideraria um sucesso?

Talvez você esteja tentando atrair novos clientes: qual é o seu custo atual de aquisição de clientes e que custo por aquisição um conteúdo de vídeo de sucesso alcançaria? Se você está elaborando um webinar sobre um evento posterior, que proporção de participantes do webinar você precisa ver inscritos para o evento?

2. Visando um público geral

Indiscutivelmente, a peça de conteúdo de marca de maior sucesso de todos os tempos, The LEGO Movie apresentou a marca de brinquedos de blocos a uma nova geração.

Mas por ter sido um grande sucesso de bilheteria, gerando quase US $ 470 milhões em um orçamento de cerca de US $ 60 milhões, muitos profissionais de marketing aprenderam a lição errada: que almejar um público geral funciona com um orçamento grande o suficiente.

Observe com atenção e perceberá que The LEGO Movie fez uma série de movimentos sutis, mas inteligentes, de posicionamento do público. Para atrair pais com idades entre 30 e 40 anos, que fazem a escolha final quanto aos filmes que seus filhos veem, os comerciantes da LEGO fizeram várias referências à cultura pop dos anos 80 e 90.

The Millennial Falcon, uma nave espacial de Star Wars, aparece em forma de bloco. Will Ferrell, que alcançou a fama no Saturday Night Live e na série Austin Powers, interpreta o pai do menino, Lord Business.

Veja também: Vídeos para empresas? Confira 3 vantagens dessa estratégia de marketing

3. Escolha da plataforma errada

Depois de saber quem você deseja alcançar com qual mensagem, a próxima pergunta deve ser óbvia: em qual canal você tem mais probabilidade de ter sucesso? Aqui, considere o público da plataforma e suas tendências de conteúdo.

Embora você possa ficar tentado a optar pela televisão tradicional (mesmo que os brasileiros ainda assistam bastante à televisão) considere outros canais dependendo do seu público (como Instagram, YouTube, Twitter e outros). Lembre-se também de que a maioria dos anúncios de televisão são limitados a poucos segundos (além de ser bem caro de anunciar na televisão, principalmente em horário nobre).

4. Falha ao testar

Por sua natureza, o vídeo tem mais variáveis ​​do que outros tipos de conteúdo de marketing. A menos que um fator seja definido, como a duração de um anúncio de televisão, faça experiências em torno dele. Você pode se surpreender com o quanto um pequeno ajuste pode afetar o desempenho do clipe.

Pouco depois da fundação da plataforma de hospedagem de vídeo Wistia, ela publicou o vídeo “Wistia in 5 Minutes”. Embora o vídeo precisasse apresentar a proposta de valor e recursos populares da Wistia, a equipe de marketing da Wistia poderia alterar a duração, os atores e o texto à vontade.

Encurtar o vídeo para 2 minutos melhorou suas taxas de reprodução e engajamento, mas na verdade diminuiu a taxa de upload de vídeo de Wistia. Como a taxa de upload era a métrica com a qual Wistia se preocupava, ela permaneceu com a original.

5. Dando pouca atenção à edição

Os profissionais de marketing podem não ser produtores de vídeo especializados, mas muitas vezes ajudam na fase de edição. Provavelmente não vai fazer sentido enviar o vídeo de volta para a agência ou equipe de criação quando o CMO deseja um ajuste que pode ser feito pela própria empresa.

Nessas situações, muitos profissionais de marketing adotam uma abordagem “boa o suficiente” que se traduz em trabalho desleixado.

Embora os erros de edição de vídeo mereçam uma postagem própria, os mais comuns enfrentados pelos profissionais de marketing são transições ruins e áudio inconsistente. Cortes no vídeo pode ser uma ótima maneira de reduzir o tempo, entretanto, podem ser impactantes.

Transições muito curtas podem resultar em uma lacuna onde o visualizador vê uma tela preta. O som escolhido antes de o vídeo ser filmado pode parecer deslocado depois. Dados confidenciais, como nomes de funcionários, podem precisar ser desfocados. Conserte o que puder, mas não tenha medo de chamar os profissionais de volta.

Ainda que não saiba como segurar uma câmera, você vai acabar trabalhando com vídeos para marcas. Não se deixe intimidar, mas tome cuidado, pois o processo é mais complexo do que criar conteúdo de blog. Especifique seus objetivos, conheça seu público-alvo e reserve um tempo para testes, e você vai se dar bem.

 

Traduzido e adaptado por equipe Nomadan

Fonte: Marketo Blog

ANÚNCIO