5 estratégias PODEROSAS para você viajar mais

Você quer viajar mais?

Aqui 5 estratégias poderosas pois foram testadas no campo de batalha.

É importante salientar que quase todas estão ligadas com economia/criação de tempo e/ou dinheiro.

1. Adotar novo estilo de vida. Simplicidade Voluntária talvez?

Por definição lá na Wikipedia, simplicidade voluntária é um estilo de vida no qual os indivíduos conscientemente escolhem minimizar a preocupação com o “quanto mais melhor”, em termos de riqueza e consumo. Se você se torna adepto, automaticamente libera grande quantidade de tempo e energia para focar em projetos como o planejamento de uma viajem, que pode até ser patrocinada.

Lembro de um amigo que recém formou na Federal de Curitiba e conseguiu um trampo na GVT (empresa gigante no ramo de comunicações). O salário era bom. Depois de um mês, cansado de ir de ônibus, resolveu comprar um carro zero. Teve sorte pois ainda morava com os pais, pois senão teria que morar no carro. Mais da metade do salário ia na parcela (60x), seguro, gasolina, estacionamento, manutenção e juros. Dá até pra entender o motivo de alguns homens cuidarem mais do carro do que da mulher.

“Compramos coisas que não precisamos, com dinheiro que não temos para impressionar pessoas que não gostamos.” ― Dave Ramsey

A outra pequena parte do salário vazava na conta de celular e vestuário para impressionar nas baladas da vida. A boa parte da história é que o carro foi roubado e o dinheiro do seguro ele usou pra viajar para a Europa. Acabou ficando e hoje anda de bicicleta.

2. Gastar menos com acomodação

Grande parte dos gastos em uma viagem é com acomodação. Algumas maneiras de economizar:

Morar num carro, van, motorhome ou barco

Acabei de brincar com o fato de ter que morar num carro, mas é uma estratégia para viajar mais. E é muito boa! Já imaginou ter o mundo como quintal de sua “casa”?

Visual da nossa casa móvel em Lake District, Inglaterra

Em 2010 fui pra Europa. Depois de passar quase 3 meses em Barcelona, tive que sair por conta do visto e descobri que podia ir pra Inglaterra e ganhar mais 6 meses. Mesmo tendo que passar 5 horas na imigração, finalmente consegui entrar. Queria ter mais liberdade pra viajar e depois de muito estudar, vi que a melhor forma seria comprando um carro. Motivos:

  • Possibilidade de dormir no carro = economia.
  • Campings são geralmente melhores e mais baratos que albergues e hoteis, e a Europa está cheio deles.
  • Maior liberdade de locomoção: não dependeria de ônibus, trem ou avião e poderia carregar minha bicicleta ainda por cima.
  • Carro na Europa é muito mais barato que no Brasil, com menos R$1.000,00 daria pra comprar na Inglaterra. Porém escolhi um a diesel e com um pouco mais espaço do que os convencionais – Ford Escort Van – que custou um pouco mais de R$1.500,00, fora o seguro obrigatório. Este custo único é apenas um pouco maior do que o meu amigo tinha com o carro zero mensalmente.

E assim foi. Gastei menos viajando de carro do que morando no apertamento em Barcelona.

Agora mesmo estou de volta na Europa viajando de Ford Transit. Se você entende inglês ou apenas quer acompanhar a aventura, descubra por onde já passamos e junte-se à nossa comunidade pelo site storyv.com. Ao longo do caminho publicamos várias dicas que podem lhe ajudar a seguir um caminho semelhante. Junte-se a nós pelo Youtube também.

Pedir acomodação!

A arte de pedir é poderosa e você pode fazer dela uma habilidade. Alguns sites lhe permitem aperfeiçoa-lá:

  • Couchsurfing: peça sofás em qualquer lugar do mundo. Eu já surfei mais de 200 dias passando por diversos estados do Brasil e alguns países como: Portugal, Inglaterra, França, Espanha, Holanda, Alemanha, Suiça, Russia, Hong Kong, Nova Zelândia.
  • Para outros sites recomendo a leitura deste artigo: Você não precisa ser rico para viajar o mundo!

3. Aproveitar a diferença cambial

Quando fui pela primeira vez para a Tailândia em 2008, encontrei no mercado perto da praia em Puket, uma banca vendendo calça da Diesel pelo equivalente a R$45 (650 baht), depois de uma breve pechinchada para ficar mais divertido, claro. A calça era de ótima qualidade e estava ainda com a etiqueta original com o preço em dólar americano: cento e uns quebrados. A mesma calça no Brasil custaria pelo menos R$600.

Então vamos imaginar que você tenha juntado um dinheiro para suas férias. Olha a ideia para presenter toda sua família ou amigos e ainda aproveitar uma super viagem. Porém tudo tem que ser feito em segredo senão perde o efeito:

  • Compre uma passagem do Brasil para a Tailândia.
  • Aproveite o máximo pois tudo é mais barato: comida, bebida, guest-house (quem sabe até consegue um upgrade para um resort), aluguel de moto, passeios turísticos, massagem tailandesa (claro!), etc.
  • Compre uma calça para cada um dos seus mais chegados.
  • Empacote para presente e quando voltar, perto do natal talvez, distribua e ganhe sorrisos!

Além dos sorrisos e dos pontos positivos por impressionar todo mundo, fazendo com que pensem que gastou mais de R$600 no presente, terá a chance de talvez receber presentes do mesmo nível. Psicologia social em ação: reciprocidade.

Mesmo com passagem, você teria gasto menos que comprando no Brasil. Mas claro, esta história é apenas para mostrar como você pode fazer uso da diferença cambial para viajar mais. EUA não é o único lugar no planeta para viajar e justificar com “economia nas compras”. Pense Ásia também.

Leitura recomendada: Custo de Vida na Tailândia

4. Negociar seu tempo no trabalho

Meu pai sempre foi apaixonado por viagens. Mas ele se deparou com o desafio de ter que conciliar essa paixão com o trabalho e família, tudo ao mesmo tempo. Perceba a maneira como lidou com a situação.

Mesmo sendo  servidor público trabalhando em Brasília, ele conversou com seus parceiros no trabalho e conseguiu o seguinte acordo: trabalharia 15 dias seguidos e assim conseguiria 15 dias de folga.

Desta forma conseguiu mudar a família para Guarapari/ES (pois sempre quis morar na praia – adorava pescar) e ainda dava tempo de ir a Manaus passar uns poucos dias com amigos e comprar presentes na Zona Franca. Acredito que voltava sempre com grande expectativa de ver a família e amigos novamente e por isso o era de melhor qualidade.

Se o seu trabalho permitir, negocie para trabalhar em casa

Muitos tipos de trabalho não permitem isto, como por exemplo médicos. Apesar que consulta por Skype está se tornando cada vez mais popular entre psicólogos.

De qualquer forma, se o seu trabalho permitir, sugiro o seguinte.

Pergunte ao chefe se pode trabalhar de casa uma vez naquela semana alegando economizar tempo e dinheiro com transporte além de estar em um ambiente mais confortável. Talvez o simples fato de estar mais próximo da família lhe deixa mais motivado a fazer um trabalho melhor, afinal é bem possível que trabalhe por ela. Poderia adicionar um motivo ainda mais forte como uma consulta marcada durante o dia.  Não minta, você pode realmente marcar uma consulta ou outro compromisso…

Se permitirem, você pode trabalhar um pouco mais (tempo que estaria no transporte) e mostrar uma produtividade superior. Quem sabe aparece no trabalho no dia seguinte até mais entusiasmado, como se a bateria não tivesse esgotado tão rápido, afinal, trabalhou no conforto de casa no seu horário mais adequado.

Depois de uma ou duas semanas, peça um dia fixo para trabalhar em casa. Mostre sempre melhor produtividade quando estiver em casa. Depois de um mês, peça mais um dia. E assim sucessivamente até conseguir a semana inteira, o mês inteiro, o ano inteiro! Com isso você pode até se aventurar em outros lugares para trabalhar: café, praia, montanha, outro estado, outro país (Tailândia quem sabe?).

Agora veja, se você consegue economizar no transporte para o trabalho e talvez até no custo de vida, morando em um lugar mais barato (conhece a Tailândia? rsrs), por que não terceirizar, digo outsource, seu próprio trabalho?

4. Outsource seu trabalho

De acordo com a Wikipédia:

A diferença entre outsourcing e terceirização é que, inicialmente, outsourcing está ligado a procura de “fontes” fora da organização ou país e terceirização correlaciona dentro do país, embora os termos sejam frequentemente utilizados indistintamente.

Vamos usar o termo outsource pois quero tratar a ideia de encontrar pessoas fora do país para transferir processos relacionados ao seu trabalho.

Supondo que você trabalha para uma empresa em São Paulo e grande parte dos processos que precisa fazer está ligado a pesquisa e talvez digitação. Você acha que seria possível encontrar pessoas em outros países para lhe ajudar? Já pensou quantos tem o Português como língua oficial?  Alguns: Moçambique, Angola, Portugal, Guiné-Bissau, Timor Leste.

Você pode utilizar este site para iniciar sua jornada. Indico pois estou utilizando bastante e muito satisfeito com os resultados. A maior parte dos temas WordPress adicionados neste site são da Marta lá de Portugal e a encontrei neste site.

Não é fácil lidar com outsourcing, mas pode ser recompensador. É importante manter a qualidade do trabalho, por isso no início pode demorar até conseguir que a pessoa ideal possa realizar as tarefas com maior autonomia. Mas a medida que vai acontecendo, estará economizando tempo e talvez até dinheiro, e assim sua jornada na última estratégia se inicia automaticamente:

5. Empreender online

Talvez seja a falta de tempo que lhe impede de iniciar seu próprio negócio. Mas na verdade, se você conseguir de alguma forma fazer a estratégia número 4, automaticamente estará empreendendo online. Basta agora escalar!

É fácil? Não! Senão todo mundo faria.

Leitura recomendada: Ganhar dinheiro online

3 Comments

  1. Dan Martins 6 de maio de 2014
  2. jefferson 7 de maio de 2014

Add Comment