6 coisas NEGATIVAS que deve saber antes de viajar a Hong Kong

Nem só de positividade gira o mundo. Apesar de ser um lugar fascinante, Hong Kong não deixa de ter alguns aspectos negativos e acho que precisa saber da sua viagem. Esse artigo foi escrito pela Hannah, minha parceira no site StoryV. As ideias foram de nós dois, portanto farei a tradução completa e adaptada, ou seja, coloco minha opinião única e palavras em diversas ocasiões e histórias. Enjoy! 

Já se passou 10 dias desde a nossa chegada a Hong Kong e de um modo geral, estamos tendo um bom tempo. No entanto, apesar das vistas maravilhosas da cidade, o sistema de metrô eficiente , recargas de chá gratuitas nos restaurantes e Wi-Fi rápido, temos encontrado alguns aspectos negativos de Hong Kong e achamos que você deve saber antes de você chegar. Leia as nossas dicas para descobrir como você pode evitar os negativos e aproveitar melhor a sua viagem. 

1. Acomodação em Hong Kong não é barata

Se, como nós, você gasta a maior parte de seu tempo vagando e menos de seu tempo lidando com os detalhes, como reservar acomodação, espere pagar o preço. Após a chegada em Hong Kong , fomos em busca de uma pousada barata que poderíamos dar-nos o luxo de ficar duas semanas. Com tudo já ocupado ou extremamente caro, finalmente encontramos o mais barato que conseguimos encontrar – um pequeno quarto individual, sem qualquer janela para fora, em uma pequena casa de hóspedes no meio de um prédio de vinte e tantos andares pelo equivalente a US$40 por noite.

Tendo acabado de chegar da Tailândia (um paraíso para mochileiros) onde estávamos pagando apenas US$10 por noite para um quarto em uma pousada limpa com ar fresco e uma boa atmosfera (Bangkog), ou melhor ainda, US$160 por mês em uma casa nas montanha de Pai no nordeste do país, estávamos nos sentindo roubados, para dizer o mínimo.

Duas dicas para não quebrar o banco em alojamento antes mesmo de começar:

  • Reserve on-line pelo menos uma semana antes de chegar em Hong Kong para garantir um quarto e pagar menos por isso. Isso também vai poupar lhe poupar as pernas e paciência.
  • Crie um perfil no couch surfing ou nesses outros sites. A comunidade on-line é o lar de milhares de hospedeiros em todo o mundo que oferecem seus sofás (as vezes camas) para os viajantes dispostos a criar novas amizades ao longo de sua jornada.

Leia também: 

2. Hong Kong é estressante

Se você está procurando um lugar para ir e relaxar e eliminar o stress de sua mente, este não é o lugar para vir. Dia 1 em Hong Kong e já estávamos sentindo afogados pela pressão em ter que fazer tudo rápido e mentalidade ganhar-ganhar dinheiro, nas pessoas (e dá-lhe gente em Hong Kong). Começamos a sentir a agitação e perturbações que a cidade começou a passar para nós. Pessoas apertam e empurrar para chegar onde querem sem nenhuma consideração pelos outros e acabam sendo bastante rudes, perdendo a paciência (especialmente com os estrangeiros ) muito rapidamente. Mulheres se enfileiram nas ruas distribuindo panfletos oferecendo massagem barata para relaxamento, mas o problema é que ninguém tem tempo para isso!

Duas dicas para evitar o estresse:

  • Faça sua pesquisa e encontre um lugar para ficar, que é um pouco mais longe das principais áreas de Hong Kong. Assim terá um refúgio e as chances são de que vai custar menos. Com o metro conectando toda a cidade fica extremamente fácil chegar a todas as áreas de negócios, compras e vida noturna.
  • Um passo pra trás, respire fundo e sorria. Só porque todas essas pessoas têm prazos a cumprir, lugares para estar e dinheiro para fazer, isso não significa que você precisa. Se está de férias, lembre-se, conduza seu dia em seu próprio ritmo e divirta-se.

3. Povo de Hong Kong pode ser rude

Por causa da razão acima e porque simplesmente querem ser (não generalizando, claro). Nós experimentamos isso em muitas ocasiões. Talvez três vezes pelo menos. Fomos comprar algo em uma loja e parece até que estamos fazendo um favor (como meu diria meu pai). As vezes falam rudemente, as vezes em chinês, e as vezes ignoram um pouco.

Mais uma vez, não podemos generalizar, mas sentimos isso mais forte em Hong Kong que em outros lugares que viajamos.

 

Como sugerimos que você evite isso?

Nossas 2 dicas:

  • Compre um guia Lonely Planet ou qualquer outro para aprender um pouco de cantonês, pelo menos o básico. Sabendo palavras e frases como Olá, adeus, obrigado, desculpe, “quanto é isso?”, “eu não falo chinês”, seria um bom começo para conseguir um pouco de respeito, assim demonstra que ao menos está tentando se relacionar com eles.
  • Se isso falhar, sorria. É algo contagioso. Talvez por não receberem, não dão. Se você ainda está chegando a lugar nenhum, as chances são, que é assim que escolhem tratar toda a gente e por isso não deixe afetar você… isso é problema deles, não seu.

4 . Hong Kong é um dos lugares mais densamente povoados do mundo

Já por duas vezes que descemos a rampa para a balsa que leva as pessoas para o outro lado do Victoria Harbour, quando um alarme dispara e o portão começa a abrir, pronto, a multidão empurra seu caminho até a entrada da balsa, a fim de obter um assento para o passeio de barco de dez minutos. Agora, antes de tudo, quem se importa se você consegue um assento? Fique de fora e respire um pouco de ar fresco. Em segundo lugar, não somos gado, então por que agir como tal? Outro exemplo está no metro. Pegue um desses trens em horário de pico e você estará praticamente abraçando a pessoa na frente de você. Que romântico!

Duas dicas para evitar ser afogado em um mar de pessoas a cada vez que você quiser fazer alguma coisa:

  • Vença o horário de pico. Não vá a qualquer lugar entre as horas: 7-9:00 e 16-18:00. Desfrute de um café e um pedaço de bolo enquanto você espera.
  • Planeje onde você quer ir no seu dia. Mapear para onde está indo e quanto tempo quer passar por lá, e assim organizar o seu modo de transporte em torno disso. Há muitos outros modos de transporte além do metro, ônibus e ferry. Alguns dos quais incluem táxi, bonde e caminhada – todos os quais são menos movimentados.

5 . Restaurantes de Hong Kong colocar pessoas aleatórias na mesa com você

Devido ao fator acima, os clientes se sentam onde há um assento livre e isso inclui sua mesa. Agora entendemos que, para restaurantes lucrarem, precisam ser capazes de atender a todos os clientes. No entanto, alguém deve, pelo menos, perguntar antes de colocar alguém que não conhecemos em nossa mesa. Nós não temos um problema com os outros sentados conosco, mas se estamos discutindo algo particular ou importante, gostaríamos ao menos ter a opção de dizer não. Outra coisa é que os restaurantes geralmente são congelantes para que as pessoas saiam rapidamente, criando maior rotatividade de clientes. Minhas últimas 2 dicas:

  • Se você quer se sentar sozinho, solicite uma mesa sem cadeiras extras disponíveis.
  • Traga um casaco.

6. Cuidado com a venda de produtos falsificados

Se acontecer de você ficar na área de Tsim Sha Tsui esteja preparado para ser abordado por vários vendedores que oferecem de tudo, desde ternos, bolsas e relógios falsificados a drogas ilegais. Enquanto você aprende a lidar e evitar isso, são com os donos de lojas que você tem cuidar!

A primeira vez que estive em Hong Kong queria comprar uma câmera, a Canon 550D. Acredite, pesquisei da região de Tsim Sha Tsui até Mongkok, perguntando em cada loja o melhor preço. Depois de alguns dias andando sem parar, encontrei essa loja que ofereceu o melhor preço e como era na rua principal (Nathan Road) nunca imaginei que iriam me enganar.

Depois de terem me fisgado com o baixo preço, que inclusive foi menor que nos sites especializados dos EUA, fui convidado a sentar no balcão e o dono da loja tirou o que parecia ser uma câmera de melhor marca e qualidade, e que vinha com uma lente “melhor” e por isso o valor era até um pouco maior que a Canon. Depois de muito blá blá blá sobre as vantagens dessa outra câmera, resolvi acreditar. Comprei e fui pra casa tirando algumas fotos e vídeos no meio do caminho.

Quando coloquei os arquivos de imagem e vídeo no computador, percebi que eram de péssima qualidade e imediatamente comecei a fazer a pesquisa na internet. Descobri que a câmera que acabara de comprar era uma farsa completa e que esse tipo de coisa era bem comum de acontecer em Hong Kong. Furioso, voltei na loja pra pegar o dinheiro de volta. Assim que entrei o vendedor sabia exatamente o que estava errado e em poucos segundos me deu a câmera original Canon.

Muitos estrangeiros vão a Hong Kong muito rapidamente, 1, 2 dias, as vezes apenas horas. E é aí que esses inescrupulosos aproveitam.

2 dicas para não cair no golpe dos produtos falsificados:

  • Se o preço for mais baixo que o que encontra na internet, fique na dúvida. Faça sua pesquisa antes e tenha uma visão clara do quer. Não deixe ser persuadidos a comprar algo que nunca ouviu falar antes.
  • Tenha um smartphone contigo. Se você não tiver certeza sobre o produto, pesquise na hora antes de se comprometer a pagar qualquer dinheiro.

Por Hannah Finch, adaptações Dan Cortazio.
Imagem Wikimedia Commons

2 Comments

  1. Anocas 14 de março de 2016
  2. *Palomita* Ou Pamy para os mai 13 de abril de 2016

Add Comment