Novo valor do Auxilio Emergencial – Saiba como receber

ANÚNCIO

Devido a grave crise de saúde mundial causada pela pandemia, economias do mundo inteiro buscam oferecer alternativas e concretizar medidas que tem como objetivo proteger suas respectivas populações.

Uma das medidas encontradas pelo governo federal do Brasil foi fornecer o benefício do auxílio emergencial, que foi uma medida que conseguiu ajudar muitas pessoas que estavam sem recursos para se manterem.

ANÚNCIO

Inicialmente, o auxílio oferecia uma quantia no valor de R$ 600,00 em cada parcela, que estava sendo disponibilizada aos cidadãos aprovados pelo governo. Atualmente, o auxílio está em sua 5º parcela e a União resolveu alterar seu valor e algumas regras sobre quem poderá continuar recebendo. 

Novo valor do Auxilio Emergencial - Saiba como receber
Fonte (reprodução/internet)

Continue por aqui e saiba como ficou os valores do benefício, e como receber seu auxílio até as últimas parcelas. 

Auxílio Emergencial

O auxílio-emergencial, oferecido pelo governo federal, foi criado pensando justamente na população que foi gravemente prejudicada com o isolamento social. Como por exemplo, os trabalhadores informais que foram obrigados a parar de circular. 

ANÚNCIO

O benefício também é oferecido a microempreendedores individuais que tiveram seus negócios fechados, a pessoas que se encontram em situação de desemprego e para autônomos que trabalham por conta própria. 

O valor inicial do auxílio era de R$ 600,00 e seria pago em até 3 parcelas. vale dizer, que até duas pessoas de uma mesma família poderiam receber. Para aquelas famílias que contavam apenas com uma mulher como a principal responsável financeiramente pelo lar, elas podiam receber até R$ 1.200,00 de parcelas mensalmente. 

A quem se destina o benefício

Para ser um beneficiário autorizado pela União, o requerente deve cumprir os seguintes requisitos: 

  • Ser maior de idade;
  • Não possuir emprego formal;
  • Não ser beneficiário de outros auxílios, como por exemplo, seguro-desemprego, ou auxílio previdenciário, com exceção aos beneficiários do Bolsa Família;
  • Ter renda familiar de até meio salário mínimo por pessoa (R$ 522,50), ou possuir renda familiar mensal de até R$ 3.135;
  • Ser trabalhador informal com cadastro atualizado no CadÚnico;
  • Ser microempreendedor individual;
  • Ou contribuir no RGPS (Regime Geral de Previdência Social).

Mudança no valor do auxílio emergencial

No começo de setembro foi aprovada uma medida provisória que previa a prorrogação do pagamento do auxílio-emergencial em até mais 4 meses. No entanto, o MP alterou o nome para Auxílio Emergencial Residual, e seu valor passa de R$ 600,00 para R$ 300,00 mensais

As mulheres chefes de famílias receberão o dobro do valor que seria como uma parcela dos meses anteriores. Além disso, a medida provisória ainda prediz que nem todos os inscritos continuarão a receber o auxílio. 

Também ficam vedadas novas inscrições, porém, quem ainda está esperando a aprovação poderá receber todas as parcelas. Então, será refeita uma nova avaliação dos beneficiários e para continuar recebendo os valores será necessário se encaixar nas condições. 

Quem pode deixar de receber o auxílio

Alguns beneficiários poderão deixar de receber o auxílio, confira às condições que levarão a pessoa a deixar de ser atendido pelo benefício do Governo Federal:

  • Ter conseguido emprego formal;
  • Recebeu outro benefício do governo além do bolsa família ou do auxílio emergencial, como por exemplo, seguro-desemprego;
  • Morar no exterior;
  • Famílias que têm renda acima de três salários mínimos, ou ter renda acima de meio salário mínimo por pessoa;
  • Ter menos de 18 anos, exceto nos casos de mães adolescentes;
  • Estar preso em regime fechado;
  • Tenha sido registrado óbito na base de dados do governo federal;
  • Ter recebido rendimentos tributáveis acima do valor de R$ 28.559,70;
  • Ter recebido até 31 de dezembro de 2019 posse a propriedades ou bens no valor total ou superior a R$ 300 mil reais;
  • Ter sido declarado no imposto de renda de alguém que se enquadre nos pontos acima.

Para mais informações

Caso restem dúvidas o requerente pode procurar obter informações através dos canais de atendimento da CAIXA:

  • Pelo aplicativo CAIXA TEM;
  • Pelo aplicativo do Bolsa Família;
  • Pelo número 0800 726 0101;
  • Por atendimento presencial através de agências próximas.
ANÚNCIO