Investimentos no setor infantil? Conheça 2 histórias de sucesso

ANÚNCIO

Atualmente, os investimentos no setor infantil são milionários, ou melhor, bilionários. Isso quer dizer que o setor como um todo gera oportunidades de negócios para muitos empreendedores. Inclusive, para quem é micro e pequeno empresário.

Logo, o que temos é um mercado diversificado, que traz estímulos para qualquer criança que está na primeira infância. Se você não entende essa flexibilidade de programas e ideias, saiba que ela vai desde a Peppa Pig até outras adaptações, como o Mundo Bita.

ANÚNCIO

As pesquisas comprovam

E, como vocês sabe, a gente gosta de comprovar fatos com argumentos. Então, vamos citar aqui um que é da Euromonitor de 2018. O estudo diz que em 6 anos, o volume de vendas anual de produtos infantis no país teve crescimento 45% de no faturamento.

Isso quer dizer que o mercado todo passou de R$ 2,7 bilhões para R$ 3,9 bilhões. Além do mais, entre os anos de 2017 e 2018, o crescimento foi ainda maior, ficando na casa dos 8%. Logo, parece ficar claro que é um mercado que não se afeta com as crises.

Sem contar com o fato de que esse mercado infantil traz oportunidade para outros segmentos. Por exemplo, em 2015, a ESPM Media Lab avaliou que entre os 100 principais canais do Youtube, 36 abordavam conteúdos consumidos por crianças de 0 a 12 anos.

ANÚNCIO

E para comprovar ainda mais isso que estamos falando sobre a possibilidade de investimentos no setor infantil, considere agora 2 histórias de sucesso: o Mundo Bita e a Klin.

1 – O Mundo Bita

O Mundo Bita é um ótimo exemplo. E tudo começou em 2010, quando Chaps Melo começou a desenhar os personagens para ilustrar o quarto da sua primeira filha – ela ainda não havia nascido, mas estava chegando ao mundo.

Um ano mais tarde, além do nascimento da filha, nascia também a produtora Mr. Plot, onde foram apresentados os desenhos do Mundo Bita. “A partir disso, o Bita ganhou nome e a produção iniciou a partir dos aplicativos para celulares”, afirma o diretor, João Henrique Souza.

Mas, o que pouca gente sabe é que 12 meses após isso, o projeto “se mostrou inviável”, como ele mesmo diz. E completa: “Não conseguimos sustentar a empresa nem pagar os funcionários com o retorno íntimo gerado pelos aplicativos lançados”, afirma.

Dessa forma, como última tentativa para fazer o projeto dar certo e ser rentável, eles passaram a criar clipes autorais em desenho animado. A ideia era muito simples: somente agregar valor ao novo aplicativo, Bita e os Animais.

As novas produções

Com a composição e cantoria de Chaps, esse novo projeto vingou. Assim, os empresários Felipe Almeida, Ênio Porto e João Henrique Souza resolveram investir mais em novas produções. Foi quando surgiu o Mundo Bita, como conhecemos hoje.

“Criamos o Mundo Bita, universo com mais personagens e uma história mais profunda que tem a imaginação, a música, a educação e as descobertas como fundamentos. Nesses 8 anos, os primeiros 5 foram de muito aperto e incertezas”, contou Souza para uma Revista.

Atualmente, além do canal no Youtube, o projeto possui aplicativos para smartphones e DVD. O engraçado é que os DVDs “já salvaram as finanças de toda a produção”, eles contam.

Mas, hoje em dia, as receitas principais veem das plataformas e da mídia física, que acabou se tornando um coadjuvante. Além disso, os criadores perceberam grande potencial nos eventos ao vivo, com a monetização do conteúdo.

“Neste cenário, a receita é não se ater a um único canal nem a uma única possibilidade”, completa o diretor de negócios Felipe Almeida.

2 – A Klin

A Klin é outra marca ligada ao público infantil. E se você acha que estamos falando apenas de calçados e roupas, saiba que está enganado. Tanto é que fizemos uma espécie de linha do tempo para você entender melhor a atuação da empresa.

Ela foi fundada em 1983, com uma produção diária de 15 pares de calçados. Após 2 anos, passou a produzir diariamente 750 pares. Depois de 5 anos, o número cresceu para 6 mil pares. E em 1989 se expandiu para Gabriel Monteiro e Penápolis (ambas em SP).

Em 1992 chegou ao exterior, exportando para 60 países. Mais 2 anos depois, nova unidade nasceu em Birigui (SP). E na mesma cidade hoje temos o Shopping das Fábricas da Klin. Além da unidade em Três Lagoas (MS).

Investimentos no setor infantil? Conheça 2 histórias de sucesso

No mercado digital

E para terminar esse assunto sobre os investimentos no setor infantil da Klin, saiba que foi em 2010 que a marca criou a sua loja virtual. No site oficial você encontra os calçados, as roupas, os acessórios e até mesmo o outlet. E tudo fica categorizado entre: menino e menina, melhores descontos, menores preços e estações do ano.

Já no ano de 2017 nasceu na capital paulista a loja conceito Klin. No ano de 2018, muita coisa aconteceu. Como o lançamento de livros ilustrados, campanhas em vídeos e a “Aventuras do Klin”, que é um canal do Youtube, que conta sobre a vida do cachorrinho e da marca.

Em dados mais recentes, saiba que o volume de produção da marca é de 28 mil pares por dia, sendo 13% dessa produção direcionada ao exterior – o que impressiona até mesmo quem já acreditava no potencial desse mercado infantil.

ANÚNCIO