Inbound Marketing – 7 passos verdadeiros para atrair clientes

Ter o melhor produto do mercado não vai te garantir a venda. Assim como ter o produto mais barato também não vai fazer com que você venda de novo. Existem técnicas no Inbound Marketing que vão te ajudar a atrair clientes e depois fidelizar eles.

Saber usar o marketing digital no seu negócio já não é um diferencial, mas sim uma questão de sobrevivência nos dias de hoje.

E nessa obrigação se inclui o entendimento sobre o inbound marketing, que nada assim tão assustador: a ideia não é você alertar o seu cliente, mas atraí-lo.

Como se fosse um imã mesmo.

E você pode fazer isso de diversas maneiras diferentes, sendo que todas elas passam por ter um conteúdo de qualidade, com uma entrega justa e o resultado é que você vai conquistar mais fãs para o seu negócio.

Se você não sabe o que é o inbound marketing não se preocupe que falaremos disso aqui hoje!

E se você não sabe exatamente como usar o inbound marketing também não fique assustado: temos 7 dicas totalmente reais e verdadeiras para você começar a atrair mais clientes.

Inbound Marketing – o que é?

Você não vai ter sucesso ao usar a sua estratégia de inbound marketing se não souber o que é o inbound marketing.

Então, vamos lá: o conceito mais usual diz que inbound marketing é “chamar a atenção do seu público ao invés de interromper a ação dele. Para isso, o ideal é ser relevante para ele”.

Até aqui ficou fácil, né?

Com um conteúdo de qualidade vai fazer o seu público ficar interessado, obviamente.

Só que a ideia vai muito, além disso: você precisa puxar o foco dos seus usuários para a sua marca sem que ela se sinta “lesada” por isso.

E a explicação é: quando você tem esse poder de atrair o público por meio de conteúdo você constrói a sua marca, aumenta as vendas, aumenta também a chance de fidelização e garante o branding da sua empresa.

Agora, você não tem que ser um expert em tudo para conseguir investir no inbound marketing pensando na atração de clientes.

Por isso, separamos 7 dicas bastante simples, reais, que já foram usadas e aprovadas, que vão te ajudar a impulsionar o número de fãs, de clientes, de vendas, de negócios.

Confira!

1 – O Conteúdo de Qualidade

Esse ponto é o mais importante porque ter um conteúdo de qualidade vai ser imprescindível para tudo o que você fizer no inbound marketing.

Apenas para você entender um pouco disso, considere justamente a atração do seu cliente.

Se o seu conteúdo não for bom, acha mesmo que as pessoas vão consumir isso?

Além de ser muito bom e de qualidade, o seu conteúdo tem que ser atrativo também.

E um material atrativo começa pelo título, não é?

Depois que o cliente chegou até o seu conteúdo e clicou nele, você conseguiu passar pela atração, sendo que isso geralmente acontece com um bom título SEO criado.

Só que se após clicar no seu conteúdo o cliente não gostar do que vê, já era, ele cai fora.

E cai fora mesmo!

Para ele é muito fácil: clicar no “x” da janela e fechar. Ou ir para a página seguinte.

Então, a qualidade vai ser importante em tudo o que você criar a partir de agora – do título à veracidade e disposição das informações.

2 – As Buyers Personas

Bom, outro ponto que também vai te ajudar a atrair clientes é conhecer suas buyers personas.

Não sabe o que é isso?

Simples: o seu público alvo!

O público-alvo é parte fundamental do inbound marketing que você vai fazer.

Pois quanto mais personalizada é sua estratégia, melhores serão os resultados.

Algo totalmente proporcional.

Portanto, considere criar buyers personas.

Elas são as personas que de fato comprariam a sua solução, o seu produto que está sendo ofertado.

E esse público alvo é uma maneira de guiar a sua criação de campanhas, de conteúdos e também de organizar melhor o seu calendário de postagens.

Ao criar a persona você consegue enxergar com clareza as suas ideias.

  • Quais são os seus problemas?
  • Os seus desafios?
  • As dores?
  • Afinal, o que mais afeta o seu público agora?

É a partir de perguntas como essas que você começa a publicar conteúdos que toquem diretamente os seus clientes.

E lógico: você deve sempre propor soluções para essas questões.

Lembre-se que o inbound marketing tem como objetivo preencher o espaço entre o que o seu cliente ideal quer e como ele pode obter essa solução.

Você já ouviu falar disso no marketing digital, não é?

Se existe um problema, deve existir a solução.

E nesse caso, o inbound marketing é o meio de campo que vai mostrar ao cliente exatamente a solução que você tem!

Por fim, saiba da importância do buyers personas porque quando você define o seu público, você dialoga muito melhor e mais verdadeiramente com ele.

É a partir disso que você escolhe a sua postura, por exemplo.

A dica aqui é: pense bastante nisso tudo antes de dar o pontapé inicial.

Você jamais deve deixar de lado o seu conteúdo de qualidade e nunca deve esquecer-se de criar campanhas voltadas exatamente para o seu público e para as dores dele!

É possível voltar atrás e começar ou alterar algumas estratégias no meio do processo, mas escolher um caminho a seguir de forma consciente te poupará muito mais tempo e esforço no futuro.

3 – As Técnicas de SEO

Você que conhece o mais básico do marketing digital já ouviu falar delas, não é?

Em um recente artigo (As 17 principais técnicas SEO para ranquear no Google), nós contamos um pouco sobre como funciona a parte orgânica do Google.

“As posições de buscas são definidas pelos robôs do Google conforme o nível de relevância e de autoridade de um site. Isso se soma a qualidade e experiência do usuário”.

Então, aqui falamos de posicionamento. E tem mais:

“O Google organiza os conteúdos através dos mais relevantes porque quer ajudar o usuário a encontrar a melhor resposta para o seu problema”.

Logo, se nós estamos falando de inbound marketing, que é atrair clientes, devemos considerar ter a melhor resposta para o nosso público – ou para todos os públicos!

O fato importante de se considerar aqui é que hoje em dia ninguém investe em otimização de SEO apenas para ganhar as primeiras posições dos principais mecanismos de busca, como o Google.

A ideia também é a de que os seus conteúdos sejam mais facilmente encontrados ao público para o qual foram produzidos.

É muito simples entender isso: o que adiantaria você ter um material extraordinariamente perfeito e com qualidade se ninguém o lesse?

É aqui que entra a importância das técnicas de SEO.

E para isso nada melhor do que o tráfego orgânico!

Esse tipo de tráfego segue a maior premissa do inbound marketing: você é procurado pelo cliente e não o contrário.

Aí, muito mais do que aplicar técnicas para ficar bem posicionado no Google, você também deve considerar outros pontos que podem te dizer muito a respeito da sua campanha…

  • Entenda como os visitantes chegam até seu site!
  • Quais os temas que mais trazem visitas!
  • Quais as palavras-chave com volumes de busca maiores!
  • O que você pode usar para atrair ainda mais pessoas!

Tudo isso você consegue ter em mãos, em um relatório muito bem explicadinho, quando se sabe com usar e o que fazer com as ferramentas de SEO.

Monte a sua estratégia de palavras-chave relacionadas a seu negócio e faça as devidas otimizações dentro do seu site ou blog!

E não vamos citar tudo que é possível de fazer com isso, mas considere inicialmente, por exemplo: melhorar os seus títulos, usar ALT TAG nas imagens ou fazer link building.

Se você não sabe nem por onde começar, leia outro artigo que temos aqui no blog que tem tudo a ver com as palavras-chaves do Google – 10 Ferramentas SEO Gratuitas para Escolher as Melhores Palavras-Chaves!

4 – As Redes Sociais

Esse tópico não teria como não estar aqui.

Qualquer mídia social que seja atuante hoje em dia (como o Facebook, o Instagram, o LinkedIn, o Twitter e outras) será a plataforma ideal para compartilhar conteúdos com a sua audiência.

E você pode fazer isso como um incentivo para que esses conteúdos altamente qualitativos sejam compartilhados com os amigos do seu público.

Desde que bem utilizadas, essa estratégia de marketing digital pode gerar bastante tráfego para o seu blog.

E sim, os usuários de redes sociais estão interessados em consumir conteúdos de suas marcas preferidas!

Algumas pesquisas apontam que 54% deles afirmam procurar páginas ou perfis de marcas com as quais se identificam.

A dica deste tópico é a seguinte: antes de começar a gerar conteúdo para essas mídias, pesquise sobre o comportamento do seu público.

E essa pesquisa inclui itens como:

  • Saiba o melhor horário para postar
  • Saiba a frequência ideal para fazer isso
  • Saiba como não tornar as postagens escassas ou maçantes

A criação e a publicação do conteúdo é apenas uma parte da estratégia de inbound marketing, pois o principal é fazer com que esse conteúdo de qualidade chegue até as pessoas.

Somente aqueles que querem ver seu conteúdo irão atrás da sua marca, mas se elas não tiverem esse alcance, isso nunca irá acontecer.

E se você não usa as mídias sociais no seu negócio, saiba que está andando do lado errado!

Algumas pesquisas mostram que mais de 98,8% das empresas usam o Facebook como estratégia de marketing digital nos dias de hoje.

E isso se acrescenta ao fato de que o Brasil é o 3º país no mundo onde isso mais acontece!

Quer mais números?

Fizemos uma matéria falando sobre “As Coisas Interessantes das Redes Sociais”, onde mostramos algumas das pesquisas mais comentadas sobre o assunto, confira alguns dados que foram citados:

  • No Brasil são mais de 120 milhões de usuários do Whatsapp,
  • No Brasil são mais de 98 milhões de usuários no Youtube,
  • No Brasil são mais de 57 milhões de usuários no Instagram,
  • No Brasil são mais de 30 milhões de usuários no Twitter…

Então, se o seu foco é atrair clientes, sendo que é isso que o inbound marketing faz, então, você deveria estar presente, com qualidade e perspicácia, onde as pessoas também estão!

Ah, e se o assunto é curiosidade sobre as redes sociais, considere ainda que “o brasileiro passa mais de 9 horas por dia na internet”, sendo que o maior horário de sucesso é o noturno!

5 – As Landing Pages

Quando a gente fala em landing page, o que você pensa?

Se pensa em conteúdos exclusivos ou conteúdos premium, você está certo.

Mas, o que deve considerar mesmo é que esses conteúdos diferenciados, que podem fazer toda a diferença para você, exigem tempo e dedicação.

  • Afinal, como produzir um e-book de qualquer jeito?
  • Ou fazer um webinário sem estar preparado?

Por ser um conteúdo diferenciado, você vai precisar se dedicar muito mais.

Isso não quer dizer que eles não valem a pena, tá bom?

Só que quer dizer que você poderá e deverá usar várias informações que estão ao seu alcance, como: os contatos dos seus visitantes, do seu e-mail, etc.

E em troca desse material, você vai conquistando mais leads que serão ativados em uma etapa posterior do funil de vendas.

Outra grande questão a ser estudada é que os materiais premium precisam estar hospedados em Leading Pages.

Uma landing page nada mais é do que uma página de vendas.

E o que se sabe é que ao enviar o seu potencial lead (atualmente, o seu público) para uma página exclusiva de captura, maiores são as chances de conversão para as vendas.

Uma boa Landing Page precisa:

Poucos elementos para concentrar a atenção do visitante na call to action!

E a sua CTA deve ser única, como “baixe seu ebook agora” ou “assine nossa lista de e-mails”.

Quanto ao design, o ideal é que seja totalmente funcional.

Logo, o design de uma landing page deve ser simples e focado na conversão.

Mas, atenção!

Você pode usar alguns elementos que vão complementar e adicionar valor a eles, como os vídeos, as imagens e os depoimentos para aumentar a sua taxa de conversão.

6 – Os E-mails Marketing

O público que assina sua lista de e-mails é o mais engajado que você pode conseguir.

Fato!

Se você tem uma boa lista de e-mail, aproveite isso agora mesmo!

Com a lista de e-mails você consegue estreitar o relacionamento com a audiência.

E você pode fazer isso através de campanhas exclusivas para quem assina seu newsletter ou até mesmo a melhor forma de vender seus produtos.

Se você, como nós, gosta de números, vamos lá:

– Cerca de 3,5 bilhões de pessoas possuem ao menos 1 conta de e-mail.

É muita gente com e-mail, não é mesmo?

Além disso, as chances de uma pessoa que assinou sua lista comprar algum produto seu é muito maior do que quem nunca assinou nada seu.

Especialmente se você teve o cuidado de construir uma conexão com ela antes.

Prova disso é que quem recebe ofertas por e-mail gasta, em média, 83% a mais em compras pela internet.

Portanto, você precisa criar e administrar muito bem essa sua base de clientes e para isso recomendo que você use um bom software.

Aqui também temos outra indicação de leitura para você: “5 Regras de E-mail Marketing para um ROI excelente”.

Uma das regras que citamos neste conteúdo é justamente criar campanhas de e-mail marketing personalizadas.

Isso é importante para quando se quer atrair clientes, considerando que a taxa de abertura dessas campanhas é de 17,6% enquanto para e-mails sem personalização, a taxa cai para 11%.

E como segmentar o envio de e-mails?

Comece a considerar o envio de e-mails para os seguintes públicos: para quem já comprou o seu produto anteriormente, para quem nunca comprou, por taxa de cliques e abertura do e-mail e também por assuntos de interesse, por exemplo.

Leia o conteúdo na íntegra e descubra as outras regras para aumentar o seu ROI no envio de e-mail marketing!

7 – PPC (Pay Per Click)

Essa é a tática mais polêmica do mundo quando falamos sobre o inbound marketing.

O PPC é uma estratégia onde você ganha a partir do clique do seu público.

Então, se até agora falamos apenas sobre ter conteúdos de qualidade e que vão solucionar problemas dos clientes, como um conteúdo assim pode ser bom para o inbound marketing?

A ideia do PPC é a de enviar uma mensagem de forma muito forçada para a sua audiência, mas não é bem assim que tudo funciona.

Então, como usar anúncios PPC (como o Google Adwords) pode ser considerada uma tática de inbound marketing que vai acrescentar no seu negócio?

Afinal de contas, de tudo o que falamos até aqui, no mínimo, você deve ter entendido que é sumamente importante atrair a atenção das pessoas. Não é?

Apenas para esclarecermos uma coisa: outbound marketing é quando a empresa vai até o cliente.

Então, se o usuário está procurando por uma palavra-chave o Google e entre os resultados encontra um anúncio relacionado ao termo pesquisado, ele não pode ser considerado outbound, pois quem está indo atrás daquela informação é o usuário.

Tudo bem até aqui?

Logo, você não está interrompendo o fluxo natural de busca do cliente ao usar um anúncio dessa forma – mesmo que pago e não orgânico!

– O que não pode ser dito dos anúncios que invadem a tela do visitante, atrapalhando sua experiência.

A vantagem de pagar para aparecer em destaque no Google ao invés de depender 100% do tráfego orgânico está justamente no fato de você não conseguir controlar o ranking do Google.

Falamos sobre as técnicas de SEO, que são fundamentais para o seu negócio. Só que nem sempre, por melhor que seja o seu trabalho, você vai conseguir ficar bem posicionado.

Então, nesse caso e com esse pensamento, dá para considerar que o PPC é uma ótima maneira de complementar o seu investimento em SEO.

E qual o melhor momento para usar o PPC?

Geralmente, para ter os melhores resultados, são usados em anúncios de lançamentos de produtos.

Isso porque nesses momentos a ideia é fazer com que nossa mensagem chegue mais rapidamente ao público-alvo que foi selecionado.

O que não seria possível somente com SEO!

Isso porque o SEO, apesar de funcionar muito bem, é um projeto (uma estratégia) pensado o médio e no longo prazo.

Sendo que no SEO, um novo conteúdo leva um tempo até ganhar atração e ranquear na primeira página…

Resumindo: você nunca conseguirá comprar a atenção de ninguém no SEO.

Isso é mérito de quem sabe conquistar o interesse, independentemente de usar meios pagos para isso ou não.

Logo, uma boa saída é unir as 2 possibilidades.

Inbound Marketing – invista

Ao final deste conteúdo não há dúvidas sobre a importância de se usar o inbound marketing como estratégia para atrair clientes – desde os novos clientes até aqueles que já não são mais.

A ideia nunca foi e nunca será de mentir para o seu público, mas sempre de criar conteúdos de qualidade que vão agregar valor a vida dessas pessoas.

Se você tem a solução para um problema, mostre ao mundo!

Então, neste conteúdo, além de entender melhor o que é o inbound marketing, você viu também os seguintes tópicos: O Conteúdo de Qualidade, O seu Público Alvo, As Técnicas de SEO, As Redes Sociais, As Landing Pages, Os E-mails Marketing e PPC (Pay Per Click).

O que acaba sendo um ótimo guia para você começar a investir em inbound marketing.

Se você ficou com alguma dúvida ou se acrescentaria mais algum item nesse passo a passo, deixe o seu comentário, exponha a sua opinião e conte também qual a sua experiência após investir no inbound marketing.

Da redação

Add Comment