Saiba como funciona o empréstimo do BNDES para MEI

PROPAGANDA

Muita gente tem estudado as possibilidades de se tornar um MEI (Microempreendedor Individual) hoje em dia. Até mesmo para atuar em campanhas de marketing digital, no começo, essa é uma boa ideia. Por isso, vamos falar sobre o Empréstimo do BNDES para MEI.

Para quem não sabe ainda, o BNDES é o maior banco de financiamento do país. A sigla bem de Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico Social. E a boa notícia é que o BNDES tem opções que dão ao MEI a chance de conseguir um dinheiro para investir no negócio.

Abaixo, a gente separou as principais informações sobre esse tipo de crédito. Inclusive, vamos mostrar como dá para solicitar, quais as taxas e o contato para falar direto no BNDES. Saiba mais!

O empréstimo do BNDES para MEI

A primeira informação que podemos trazer aqui sobre o empréstimo do BNDS para MEI é que o Banco financia até 100% dos recursos que o MEI precisa. E, quanto aos prazos, eles podem variar conforme o agente que vai operar nessa negociação.

PROPAGANDA

O Banco também diz que, de um modo geral, não se cobra garantias reais. “Isso porque a maioria das transações tem como garantia o aval solidário”.

Outra coisa importante aqui é saber o que pode ser financiado pelo BNDES no caso dos MEIs. E são muitos serviços e produtos. Por exemplo, dá para usar o investimento para implantações, expansões, modernizações, infraestrutura, estudos, obras, treinamentos, etc.

Assim como dá para usar o recurso do BNDES para comprar materiais e máquinas, fabricações e fazer credenciamentos, também.

Agora mais especificamente no caso do MEI, saiba que os recursos, geralmente, são usados para dar início à empresa, como para abrir o próprio negócio. E aí dá para fazer do dinheiro um capital de giro, compra de estoque, aquisição de produtos e até mesmo custear as despesas internas.

Por outro lado, o BNDES garante que não financia o que é chamado de setores não apoiáveis. Entre eles: comércio de armas, motéis, saunas, termas, jogos de prognósticos, atividades bancárias, etc.

Conheça o Ourocard Empreendedor, cartão de crédito do BB para MEIs

Como pedir o empréstimo

O Banco afirma que o cliente poderá solicitar o financiamento de MEI através do apoio direto ou por meio de instituições financeiras credenciadas, que é chamado de apoio indireto.

E como saber qual é a melhor forma de pedir o crédito? De modo simples, saiba que a forma de apoio vai depender da finalidade do uso do dinheiro e também do valor que vai ser financiado.

O BNDES diz que, na maioria das vezes, o apoio indireto se dá para operações de compras de máquinas e valores inferiores a R$ 10 milhões. Já valores acima disso devem ser solicitados diretamente ao BNDES.

Assim sendo, se você está interessado em saber sobre o empréstimo do BNDES para MEI, possivelmente, você vai atrás do apoio indireto. E aí, nesse caso, não tem muito segredo, não. O cliente deve procurar uma agência que já tem contato ou quer se relacionar.

E se você não sabe quais bancos são parceiros do BNDES e podem ofertar o crédito do BNDES, saiba que temos uma lista completa. Aliás, a lista é do próprio BNDES, que cita em ordem alfabética os bancos parceiros. Confira!

Vale lembrar que os requisitos para solicitar o empréstimo e a análise do pedido são feitas por esses bancos, que está na lista acima. Mas, de modo geral, pessoas com boas pontuações financeiras (score) possuem maior chance de aprovação.

Os requisitos

Apesar de os requisitos serem informados pelos bancos, a gente trouxe aqui o que geralmente é tido como essencial para pedir o crédito. Primeiro, é preciso estar de acordo com as obrigações fiscais, tributárias e sociais da empresa.

Depois, saiba que é preciso apresentar um cadastro satisfatório, ter capacidade de pagamento, dispor de garantias suficientes para a cobertura de risco e não estar em recuperação de crédito.

Qual é a taxa de juros

Uma informação importantíssima na hora de solicitar um crédito é saber a taxa de juros. Isso vale para todos os bancos e instituições financeiras. O cliente tem que saber a taxa antes mesmo de finalizar o contrato. E ele deve exigir isso, obviamente.

Assim sendo, se você está pesquisando sobre o empréstimo do BNDS para MEI considere saber a taxa de juros que é cobrada. O BNDES não diz qual é essa taxa exata porque ela pode variar conforme o perfil do cliente e o score financeiro dele.

Mas, há uma garantia de que “não pode passar de 4% ao mês”. E isso considerando todos os encargos que podem ser cobrados no contrato. Além disso, temos a TAC, que é uma Taxa de Abertura de Crédito. Ela pode ser cobrada pelo agente operador e não deve passar dos 3% sobre o valor financiado no total.

Se você quiser saber mais sobre como é composta a taxa de juros do BNDES, saiba que existe uma página que explica tudo isso. Por lá, dá para ver e entender mais sobre o fator custo, o fator taxa do BNDES, o fator taxa do agente, etc.

Cuidado com os GOLPES

Aqui vale citar uma informação que é muito importante e tem sido repassada, constantemente, pelo próprio Banco. O BNDES garante que não credencia e nem contrata profissionais consultores como intermediários.

Assim sendo, se alguém te procurar, seja como pessoa física ou como pessoa jurídica (empresa), dizendo ser um consultor do BNDES tome cuidado. Muitas vezes, eles falam sobre o Empréstimo para MEI para dar golpes. Mas, obviamente, trata-se de golpes financeiros.

O BNDES, portanto, não tem profissionais terceirizados ou aprovados para agilizar, facilitar, aprovar, vender seus produtos de crédito. Veja o que o banco diz. “Os consultores, eventualmente contratados, não possuem influência na aprovação de financiamento de crédito do BNDES”.

Para finalizar esse tópico, o Banco ainda cita o BANESC (que é um Banco de Negócios, Serviços e Consultoria). “Ele não é agente financeiro autorizado a intermediar os financiamentos e crédito com recursos do BNDES”.

Por último, saiba que existem vários contatos diretos para falar no BNDES, um deles é o telefone: 0800-702-6337. Outro é o 0800-702-6307. Lembrando que o BNDES tem sede na Av. República do Chile, 100, no Rio de Janeiro.

PROPAGANDA