Desafios econômicos dos autônomos – especialista financeiro fala sobre os principais

Na internet tem crescido o número de profissionais que trabalham de forma independente. No entanto, culturalmente, o pais não está habituado a isso. Por isso, hoje vamos falar dos principais desafios econômicos dos autônomos, que possuem salários variáveis.

Inclusive, considere que eles podem ser autônomos, liberais, freelancers, prestadores de serviços, entre outros. De qualquer modo, vamos representa-los como autônomos para facilitar a nossa linguagem aqui no texto.

Mas, se você é MEI (microempreendedor individual), por exemplo ou escreve conteúdos para blog ou ainda se faz algum trabalho de marketing digital para outras empresas, saiba que também pode estar dentro dessa lista de “autônomos”.

Agora, para fecharmos essa introdução, considere que criamos alguns grandes tópicos para que a leitura fique mais simples, também. E algumas das informações citadas aqui são do Gustavo Cerbasi, que é especialista em finanças e focado no empreendedorismo.

As dívidas

Para início de conversa, considere que todo mundo deve saber que não há investimento bom para quem está endividado. Por isso, pode ser que o primeiro dos seus desafios econômicos dos autônomos seja justamente quitar esse débito.

PROPAGANDA

Veja o que o Cerbasi diz: “uma coisa é captar crédito para investir em uma atividade profissional lucrativa. Outra coisa é ter dívidas para compra de casa, carro e empréstimos em atraso”. Dessa forma, ele diz que há uma grande diferença entre esses créditos.

Logo, a dica dele é que você, enquanto freelancer ou prestador de serviços, crie uma reserva financeira para conseguir lidar melhor nos momentos das “vacas magras”, isto é, quando o seu salário pode variar para baixo.

“Além disso, há de se montar uma estratégia para liquidar as dívidas antes de investir”, diz.

O plano de negócios

Outro passo para quem quer começar a investir é criar um plano. Todo negócio, independente do porte, tem que ter um caminho, um objetivo. É preciso saber onde se quer chegar e como o trajeto será trilhado.

Logo, a estratégia que o autor cita é a de mapear a situação atual da pessoa. A ideia é simples: com isso, ela poderá identificar como o dinheiro é ganho e como ele é usado no mês. Depois, deve-se conferir também quais são os desequilíbrios financeiros.

Nesse plano, além de saber a situação atual, identificar ganhos e gastos, identificar os problemas, saiba que também é um bom momento para começar a cortar gastos para evitar fazer novas dívidas.

A carteira de ativos

Se há um próximo passo para você vencer os desafios econômicos dos autônomos, ele tem a ver com a carteira de ativos que você vai montar. Sim, é isso: mesmo que esteja começando o seu projeto, pensar na carteira é importante porque ela pode servir como reserva também.

Assim, a ideia é ter uma “carteira eficiente e segura de investimentos”. Para ele, ainda deve-se considerar que esse projeto só será concluído após se pensar na aposentadoria, “um plano de sucessão para os futuros herdeiros”.

Pode parecer muita informação para quem está começando a empreender, mas segundo o especialista isso vai ser importante para se criar uma empresa sustentável do ponto de vista financeiro.

“É como encontrar uma árvore caída na estrada. Se você sabe exatamente aonde quer chegar, um obstáculo exige apenas uma estratégia de contorno ou ajuste. Agora, para quem não possui essa rota traçada, uma árvore caída pode significar o fim ou a volta”, compara.

Quais os desafios dos autônomos

Agora você tem uma série de dicas para vencer os desafios: dívidas, planos e ativos. Porém, de quais desafios nós estamos falando? Um deles é considerar que não há garantia de salários no mês, como acontece com quem é assalariado.

Então, falar sobre controle financeiro é algo totalmente desafiador, diz o Cerbasi. “O primeiro desafio é a organização pessoal. Como o autônomo não possui uma entrada regular e não tem uma rotina formal de contabilização de suas contas tende a se acomodar”.

Um outro desafio é sobre criar os seus próprios planos pessoais. Afinal, sem saber quanto se ganha no mês e no outro, como é que ele vai fazer para saber quanto se deve juntar? Afinal, 10% do salário hoje é um valor e 10% do mês que vem é outro valor.

As soluções

Porém, mesmo considerando esses desafios econômicos dos autônomos, Gustavo garante que não há motivos para se desesperar. A ideia é a mesma de sempre: buscar soluções que sejam boas para hoje e para o futuro.

Logo, possuir ganhos variáveis pode ser também uma forma de ter uma escolha profissional mais feliz para a sua vida. Então, ainda que você saiba quanto vai ganhar no mês, dá para se criar uma média, mínimo e máximo de salário estipulado.

Então, você passa a viver a partir daquilo, evitando prejuízos. Sem contar que com isso dá para identificar informações importantes como o ganho médio, o ganho mínimo e a quando e porque se vende menos.

Bônus – quanto cobrar pelo serviço prestado?

Antes de terminar, também é legal trazermos aqui uma dúvida muito comum que os autônomos da internet possuem, que é sobre a precificação do serviço. A gente já falou várias vezes disso, no entanto, é sempre bom ouvir opinião de pessoas de outras áreas, como de finanças.

desafios econômicos dos autônomos

Gustavo cita que você tem que levar em consideração tudo o que se investiu para poder desempenhar sua atividade. Nesse caso, nós temos o custo dos insumos e o cálculo de depreciação de equipamentos, veículos e até mesmo do espaço de trabalho, entre outros.

Ah, não se pode esquecer dos gastos comerciais, como com divulgação e formação (especialmente, os cursos técnicos).

“O problema é que nem sempre é possível trabalhar com o preço justo, principalmente quando a concorrência é numerosa e pratica preços aviltantes. Nesse caso, o caminho para ser lucrativo costuma ser agregar serviços que a concorrência não consegue oferecer”, finaliza.

PROPAGANDA