As 4 coisas do marketing que mais irritam durante os feriados nos EUA

ANÚNCIO

Você se torna um profissional de marketing diferente durante a temporada de festas?

Até o início das festas de fim de ano, você passa incontáveis ​​horas pesquisando seu público, construindo buyer personas e executando estratégias que colocam a experiência do cliente em primeiro lugar. Todo o seu trabalho é baseado nas melhores práticas e conduzido com um espírito inovador. Quero dizer, vamos ser honestos, você é muito bom nisso.

ANÚNCIO

Então, do nada, a temporada de marketing de fim de ano começa.

As 4 coisas do marketing que mais irritam durante os feriados nos EUA
Foto: (reprodução/internet)

Todas essas práticas recomendadas e ideias inovadoras e criativas ficam em segundo plano em relação ao que precisa ser feito para o empurrão final antes do final do ano. Não agimos por nós mesmos, enviamos vários e-mails diariamente, executamos uma variedade de ideias promocionais que nunca consideraríamos no segundo trimestre, tentamos adaptar nossas mensagens de maneiras que ainda não estamos prontos para fazer.

O resultado é um tsunami de marketing que resulta em muito barulho e muitos profissionais de marketing cansados.

ANÚNCIO

É o seguinte: sabemos que nós não somos nós mesmos durante as férias, e faz sentido por que agimos da maneira que agimos no último trimestre do ano. De acordo com uma pesquisa da National Retail Foundation, os consumidores gastaram 4,1% a mais durante a temporada de férias em 2018 do que em 2017, para um total de US $ 720 bilhões (pesquisa baseada na população norte americana).

Então, aqui vai 4 coisas que mais tiram o sossego das empresas de marketing durante os feriados (ou até antes e depois deles).

1. Quando o Papai Noel aparece muito cedo

Não gostamos de campanhas de feriados que começam muito cedo

Assumindo o primeiro lugar para o maior aborrecimento no feriado estão as campanhas de feriados que coincidem com as compras de volta às aulas. Quase 64% dos profissionais de marketing dizem que os deixa malucos quando veem uma campanha de marketing de fim de ano em pleno fluxo logo antes do Dia do Trabalho (que acontece na 1º segunda-feira de setembro nos EUA) ou pouco antes do March Madness (campeonato de basquete dos EUA que ocorre em março).

Acreditamos que há uma janela quando é apropriado fazer o marketing de fim de ano, embora não necessariamente respeitemos essa janela.

Por que que a Cyber ​​Monday é chamada de Cyber ​​Monday?

Antes de continuar, vamos entender o que siginifica Cyber Monday e sua diferença com a Black Friday. O termo (cyber monday) foi cunhado por Ellen Davis e Scott Silverman, da National Retail Federation e Shop.org dos EUA.

O objetivo era promover as compras online, portanto, ‘cibernética’, em 2005, quando as pessoas digitaram com um dedo e acidentalmente adicionaram três do mesmo item à sua cesta de compras, porque estávamos na era das trevas, é claro. Graças a Deus, todos nós dominamos a World Wide Web e agora a Cyber ​​Monday se tornou quase tanto um fenômeno de compras quanto a Black Friday.

A outra ideia era colocar os varejistas menores em condições de igualdade com os grandes gigantes. Claro, não demorou muito para as grandes marcas pularem na Cyber ​​Monday também, mas isso significa mais negócios para todos, então não estamos reclamando.

A vantagem da Cyber ​​Monday é que você pode esperar pelo melhor negócio. Se você não tiver certeza sobre como desembolsar dinheiro por uma TV ou laptop nas vendas da Black Friday e não conseguir dormir por sonhar com um Chromebook Samsung ou que o Echo Dot, esteja te assombrando, tente novamente na Cyber ​​Monday.

Agora podemos continuar com as coisas que nos irritam.

2. Vendas da Cyber ​​Monday que começam em 1 de novembro

Nós poderíamos fazer sem o estresse

Durante o período de cinco dias, do Dia de Ação de Graças até a Cyber ​​Monday, 70% dos norte americanos fazem compras. A Black Friday é o dia de compras mais movimentado desse período, com quase 115 milhões de compradores. Talvez seja porque sabemos desse fato que nos empolgamos um pouco.

O segundo maior aborrecimento dos profissionais de marketing é a prática de criar vendas e promoções para a Black Friday ou a Cyber ​​Monday que sejam tão quentes que induzem o estresse do consumidor.

Fique por dentro: A Black Friday do marketing digital

3. Sobrecarga de e-mail no feriado

Nós enviamos e-mails atrás de e-mails

A terceira maior frustração dos profissionais de marketing é usar o feriado como uma justificativa para enviar mais e-mails. Quase metade dos profissionais de marketing disse que essa prática o irrita. Curiosamente, enquanto alguns entrevistados afirmam que abusamos do e-mail durante a temporada de marketing de fim de ano, outros dizem que é justificado e os dados de comportamento do consumidor apoiam o aumento.

4. Uso excessivo de “T’was the Night Before …”

Nós nos reconectamos com a palavra T’was

“T’was the Night Before Christimas” é uma expressão de um poema natalino norte americana muito conhecida lá. O poema fala sobre a visita do papai noel nas vésperas do natal.

Mais da metade dos profissionais de marketing acredita que é hora de aposentar o poema de natal, Uma visita de São Nicolau (canção natalina famosa). Quase 60% de nós somos incomodados por campanhas que usam frases deste poema e acreditam que era hora de olharmos para outras fontes de inspiração criativa de férias.

Há muitas outras coisas que fazemos durante a temporada de férias que não faríamos em qualquer outra época do ano.

 

Traduzido e adaptado por equipe Nomadan

Fonte: Convince & Convert e Radio Times

ANÚNCIO