O que você aprendeu hoje? Uma simples ação para aprender mais…

Em 2009, quando iniciei meu mochilão pelo Nordeste, em Salvador-BA, conheci um Sul-coreano chamado Samuel numa viagem que fizemos para um cidade próxima, Cachoeira. Os couchsurfers são demais pois ninguém se conhece, mas quando juntos, geralmente parecem amigos desde a infância – é muita espontaneidade. O que já aprendeu com outras pessoas?

Uma noite em que estávamos do lado de fora da pousada, vi o Samuel pegar um pequeno caderno cheio de anotações. Aquilo chamava atenção não só pelo fato de ser intrigante todos aquele “símbolos” meticulosamente alinhados nas páginas, mas também porque ele estava muito concentrado.

Curioso como sou, perguntei o que seria. A resposta foi mais ou menos assim: “Um dia um professor me ensinou a anotar tudo que aprendi, todos os dias. Desde então, ao final do dia, abro esse caderno e começo escrevendo, ‘Hoje eu aprendi…'”.

Entendi que aquilo seria um ótimo exercício para treinar a disciplina de escrever e melhorar nessa habilidade. Mas também reforçar o aprendizado do dia bem como incentivar novas lições, afinal, aquele momento parecia ser sagrado pra ele – acredito que não queria passar um dia sequer sem aprender algo novo.

Vislumbrado pelas vantagens que aquilo poderia proporcionar a curto e longo prazo, desejei fazer algo do tipo.

E uma surpresa. Dias depois e mesmo sem saber que queria, a Luciana, uma amiga do grupo, me presenteou com meu primeiro caderno de viagens. A capa era cheia de recortes cuidadosamente posicionados e colados, cada detalhe demonstrava toda a dedicação e carinho na elaboração.

Acredita na força do pensamento? Eu ainda mais na força das palavras…

Quando desejei fazer algo do tipo e logo em seguida ganhei o caderno, entendi que deveria. Então, se por acaso você leu até aqui, saiba que também pode fazer algo do tipo.

Confesso que não é simples fazer isso e que por muito tempo falhei. Mas se hoje estou escrevendo sobre isso novamente, é porque preciso reforçar essa ação no meu cotidiano.

Como lembrar?

Aplicativo de alarme no celular

Aplicativo de alarme no celular

Já aconteceu de você colocar o despertador sempre na mesma hora durante todos os dias da semana e depois de algum tempo você acordar alguns minutos antes de despertar?

É porque o corpo lembra. Então pra não esquecer dessa atividade, você pode colocar o alarme e depois de um tempo pode ser que nem precise mais.

Outras vantagens

Viagens

Além de melhorar sua memória para fatos marcantes e principalmente no aprendizado, você pode usar esses textos posteriormente (ou mesmo simultaneamente) em alguma publicação… blog, revista, livro, vídeo, etc.

Pois como você já deve ter percebido, um dos motivos pelo qual escrevo nesse site é para ajudar pessoas a viajarem mais. E quando me tornei nômade digital, pude viajar muito mais que quando tinha um emprego tradicional. Então para isso, eu e minha equipe publicamos muito conteúdo online.

Portanto, essa prática pode ajudar você a viajar mais também.

Conhecimento

O legal de escrever pra gente mesmo ao invés de publicamente é que nos damos o direito de escrever errado muitas vezes. Ou mesmo escrever coisas mais íntimas…

E acredite, isso pode te ajudar a se conhecer melhor. Quando você escreve sobre o que aprendeu, você busca o conhecimento lá dentro, em diversas formas.

Eu lembro quando escrevi um acontecimento recente e o que aprendi com aquilo. Segundos depois, a partir de um aprendizado, eu reconheci outro e depois mais outro. Aquilo não aconteceria, talvez, se não tivesse tirado aquele tempo para documentar.

Desafio

Então chegou a hora do desafio. Se você aceitar em manter essa simples ação para aprender mais, deixe seu comentário escrevendo “Aceito o Desafio”.

Assim você estará dando um primeiro passo em direção a uma grande transformação, pode ter certeza.

Depois você pode compartilhar o post com um ou mais amigos pra que tenham a chance de perceber isso também e até para te motivar a continuar firme com o compromisso.

#Valendo!

3 Comments

  1. Daniel 22 de janeiro de 2015
    • Dan Cortazio 24 de janeiro de 2015
  2. Romana Medeiros 22 de abril de 2016

Add Comment