8 tipos de produtos para vender na internet e ganhar comissões

PROPAGANDA

O crescimento do e-commerce em todo o mundo trouxe, além de uma gama maior de produtos que são de interesse de consumidores, diferentes formas de se fazer comércio e ganhar dinheiro pela internet. Hoje em dia, dá para ser um vendedor online e ganhar comissão por isso.

De acordo com pesquisa “Perfil do E-Commerce no Brasil”, estima-se que existam aproximadamente 450 mil lojas virtuais no país. E segundo a Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABComm), só em 2017 no Brasil, o comércio digital obteve um faturamento na ordem de R$ 59,9 bilhões.

PROPAGANDA

Com tanto dinheiro envolvido e tanta gente neste mercado é normal se sentir um pouco acuado em entrar neste mar tempestuoso. Contudo, o crescimento do e-commerce impulsiona outras formas de se fazer dinheiro online.

Essas são formas que ainda começam a ser exploradas pelo mercado brasileiro. Dentre as principais, estão os infoprodutos e os programas de afiliados. E se você não conhece nada desses termos, saiba que deveria porque é uma forma incrível de lucrar com a venda de produtos online.

Mas, o que são os infoprodutos? Os infoprodutos são produtos informativos vendidos pela internet. Os infoprodutos oferecem ferramentas para educar, resolver um problema ou facilitar a vida do cliente de alguma forma.

PROPAGANDA

E o que é um afiliado digital e qual o valor da comissão

Um afiliado digital é alguém que recomenda produtos de outras pessoas pela internet. Seja um produto físico ou digital, o intuito do afiliado é receber uma comissão por esta venda.

Dentro das diversas possibilidades de faturar uma grana que o afiliado digital possui, ele também pode indicar produtos de lojas físicas para o seu público. Além destas opções, os afiliados também podem recomendar cursos, aplicativos, serviços e muito mais.

A comissão varia muito de acordo com a plataforma e o produto que está sendo comercializado. Ela pode oscilar de 1% em alguns casos para até 80% do valor do produto em outros. Plataformas de infoprodutos como a Hotmart e Monetizze podem pagar comissões de até 80% aos afiliados.

Já sites de produtos físicos como Ebay, Amazon, Submarino, Netshows e Magazine e Luiza oferecem comissões de até 16% por venda.

Vamos há alguns exemplos reais e verdadeiros: a Monetizze é uma plataforma de afiliado que comporta produtos que podem pagar até mais de R$ 1 mil por venda em comissões. E ela tem diferenciais, como tracking de links automáticos, por exemplo.

Já a Hostgator paga até R$ 175 por venda feita e é uma das empresas mais conhecidas no mundo. Nesse caso, o programa de afiliados funciona assim: até 6 vendas por mês, o programa paga R$ 60 por venda e até 10, paga R$ 100. Até 20, paga R$ 140 e mais do que isso, paga R$ 175.

8 tipos de produtos para ganhar comissões online

As possibilidades são inúmera, e para você não ficar perdido neste mar de informações porque listamos 8 tipos de produtos para vender na internet e ganhar comissões. Mas, atenção: o que temos abaixo são ideias e tipos de produtos, o ideal é você buscar aquele que mais tem a ver com você.

1 – Ebook

Os ebooks são livros digitais. A facilidade na produção e na distribuição deste tipo de infoproduto é um dos principais atrativos deste segmento.

Com uma ferramenta de textos simples como o Word, Libre Office ou Google Docs é possível escrever o ebook.  Os formatos de saída mais utilizados são o PDF e o ePub.

Pela facilidade na produção há uma enorme quantidade e variedade de ebooks no mercado. Basta definir um nicho e começar a revender.

O Ebook é muito bom para quem gosta de escrever ou quem tem uma história boa a ser contada. O produtor pode fazer isso e depois divulgar o seu produto em plataformas de afiliados. Já para quem tem nichos de atuação igual, basta revender o produto e ganhar a comissão.

A ideia aqui, assim como para todo infoproduto, é a de trabalhar em nichos de mercado. Alguém que tenha um site de beleza deve se preocupar com infoprodutos dessa área, já que tem a ver com seus clientes e público, por exemplo.

Já especificamente sobre o Ebook, quem foi revender o produto deve analisar ele antes, já que as técnicas de escrita são diferentes de um livro impresso, mesmo porque os internautas gostam de facilidade e agilidade, mas sem perder a qualidade da informação.

2 – Videoaula

Um dos formatos de infoprodutos mais populares, as videoaulas tem grande aceitação do público porque não precisam ser lidos e sim assistidos. Assim, as videoaulas são essências para determinados produtos que necessitam de demonstração visual como receitas, exercícios físicos, pintura, entre outros.

Geralmente, demandam de uma produção mais detalhada e, por isso, agregam mais qualidade ao material. E também mais valor. Enquanto um ebook pode ser criado por uma única pessoa através de um Word, a videoaula demanda de equipamentos.

Por exemplo: uma boa câmera (mesmo que seja um smartphone precisa ter qualidade), microfones, ambiente propicio para a gravação, editores de vídeos e assim por diante. Geralmente, agências são contratadas para a produção dos conteúdos.

Hoje em dia, diversos influenciadores, profissionais e estudiosos compartilham seus conhecimentos por meio de vídeoaulas na internet. E há, por exemplo, histórias de professores que saíram das salas de aulas para atuarem apenas na internet.

3 – Screencast

É uma versão “mais simples” das videoaulas. Os screencasts são gravados diretamente da tela do computador. É uma maneira mais simples e mais barata de se produzir um vídeo, principalmente se ele se tratar de um tutorial envolvendo algum software, por exemplo.

Nesse caso, no entanto, não se dá para falar de todo tipo de assunto porque isso perderia a qualidade, especialmente se fosse uma receita de um bolo, por exemplo.

Mas, o sistema é muito prático e muito usado para demonstração em telas de computadores, como “a instalação de um aplicativo”, “como corrigir erros de sistemas operacionais” e até mesmo “como investir com pouco dinheiro na bolsa de valores e em plataformas online”.

Note que sempre que a pessoa vai demonstrar algo usando o computador (a tela do computador), ela pode fazer um screencast. Mas, para assuntos mais teóricos (como concursos públicos ou cursos de corte e costura, por exemplo), as videoaulas são mais interessantes.

4 – Podcast

Os podcasts são espécies de programas de rádio gravados. O mercado dos podcasts cresceu muito nos Estados Unidos e Europa e vêm tomando conta do Brasil nos últimos anos. Imagine um programa de rádio… Gravado.

Basicamente, é isso que faz um podcast. Então, quase sempre são várias pessoas comentando sobre algum assunto específico e isso agrega valor a quem está ouvindo o conteúdo, obviamente.

A facilidade no consumo deste tipo de mídia pode ser um atrativo. É possível ouvir nos fones de ouvido com um celular, no rádio do carro ou pelo computador. E também há histórias de pessoas que tiveram sucesso em concursos públicos ouvindo podcast, ok?

Então, é um meio a se considerar, apesar de não ser tão comum como os ebooks ou videoaulas.

5 – Audiobook

Audiobook são livros transportados para o formato MP3. Em alguns casos, os livros são compactados, de modo que o ouvinte receba apenas o essencial. São usados em mercados mais específicos, como para livros de vestibular, por exemplo.

Outra crescente, em termos de mercado, é para as pessoas cegas, que não conseguem ler os livros, mas podem ouvi-los de forma simples, sintética e qualitativa. Esses mercados estão em crescente e podem ser opções para o empreendedor digital.

Assim como os podcasts, do audiobook é que é possível transportar a mídia em um smartphone ou qualquer outro player de áudio e ouvir enquanto executa outras tarefas.

6 – Membership

Memberships ou programas para membros são sites com conteúdo privado e exclusivo para membros autorizados. Estes sites hospedam uma série de infoprodutos e demais conteúdos que os clientes possuem acesso por meio do pagamento de uma adesão.

Com isso, quem revende este tipo de produto consegue uma porcentagem sobre cada adesão.

Essa alternativa para ganhar comissão precisa ser estudada com muito afinco porque são extremamente específicos. Para entender melhor, considere que hoje em dia alguns jornais são fechados para leitores que pagam a mensalidade.

Então, quem paga a mensalidade é um membership, ok?

Agora, imagine vender uma adesão como essa… É bastante complicado. Mas, justamente por ser um mercado com pouca concorrência é que pode se tornar atrativo para quem busca maneiras de ganhar dinheiro online através de comissões de vendas.

Claro que ao fazer isso devemos considerar outras opções além dos jornais de notícias, como grupos para estudos, por exemplo.

7 – Kits

Os kits são apanhados de diversos tipos de produtos e mídias. Costumam misturar vídeoaulas, ebooks, podcasts, screencast etc. A facilidade, é que ao invés do cliente receber uma enorme caixa pelo correio, ele recebe todos estes produtos pela internet.

Este tipo de infoproduto é ideal para quem busca se aprofundar em algum tema específico.

Uma vez que existem conteúdos que são mais bem absorvidos em vídeo, em texto ou em áudio, os kits oferecem uma experiência completa para o cliente e fornece ótimos argumentos ao afiliado que os vende.

Um bom exemplo para quem está pensando em vender os kits pela internet está nas igrejas e associações religiosas, que passaram a vender os kits para os seus fiéis, onde contém videoaulas com pregações, áudios com citações e revistas impressas com agendas e fotografias, por exemplo.

A ideia do kit é justamente a de ser um pacote completo para estudos.

8 – Produtos físicos

Um dos itens que garantem um dos maiores leques possibilidades aos afiliados digitais é a venda comissionada de produtos físicos.

Gigantes do mercado como Walmart, Magazine Luiza, Ebay, Lojas Americanas, Submarino, entre outras, oferecem possibilidade de vendas comissionadas para afiliados.

Deste modo, o afiliado escolhe os produtos que melhor se comunicam com o seu nicho de mercado e os indica em sua rede social, site, canal ou blog por meio de um link exclusivo.

O processo é praticamente o mesmo de se vender os produtos digitais, só que nesse caso são produtos físicos. Então, vamos entender com um exemplo: se você atua no mercado de tecnologia pode oferecer um notebook vendido pela Americanas no seu site…

Se a venda for feita em algum momento, você ganha uma comissão por ela. Nesse caso, é ideal se conectar a um assunto exato para falar de um produto ou citá-lo de forma coerente para aumentar as chances da venda online.

Conclusão

Como vimos, opções para revender produtos pela internet não faltam. Com pouco investimento já é possível obter algum retorno por meio dos programas de afiliados digitais.

Todavia, afiliados que possuem canais próprios de comunicação e investem mais nisso, conseguem melhores resultados em suas vendas. O simples fato de você colocar um anúncio no seu blog não quer dizer que vá vender, mas criar campanhas de marketing digital aumenta as possibilidades disso.

Perceba que não é preciso ter milhares seguidores ou ter um site com um tráfego enorme para ganhar as comissões pela venda de produtos. O que é necessário é que o afiliado se comunique com seu nicho de mercado, tenha um bom canal de comunicação e saiba sobre o produto que está vendendo.

Além disso, o afiliado pode montar um verdadeiro shopping virtual, com produtos de diferentes formatos e lojas. O importante é estudar como fazer isso, com base no público.

Esta variedade de opções oferece ao afiliado a possibilidade de afunilar ainda mais o seu nicho de mercado e trabalhar sempre suprindo a demanda do público.

PROPAGANDA