Quer criar ou tem um blog? 6 coisas que você PRECISA saber para não desistir no meio do caminho

14

Está pensando em criar um blog ou já tem um?

Este é um post resposta à Mariana Rego que criou um blog mas agora está pensando em desistir. Ela pensou que o blog iria ser a principal fonte de renda para poder continuar viajando, sinto que já começou com a intenção errada e explico mais além.

Ela publicou o seguinte texto no blog Feliz Com A Vida:
Eu larguei tudo para viajar e criar um blog, mas…

Aqui minha extensa resposta (mais de 1000 palavras) que vai te ajudar muito, caso tenha um blog ou pensa em criar um (aconselho você ler o post dela primeiro para entender melhor).

Siga no Instagram
Siga minha aventura com a Hannah, a van e 2 bicicletas no Instagram

Logo no começo do texto ela disse que vendeu tudo para viajar, mas o título do texto é também “criar um blog”. Então, minha primeira dúvida, quanto do dinheiro ela investiu no blog e quanto investiu na viagem?

Esta minha pergunta é extremamente importante e explico melhor abaixo.

Ela continua e diz que está na dúvida se deve encontrar um emprego para ter uma vida mais estável ou continuar viajando. Então eu pergunto, se você tivesse agora a mesma grana que tinha quando começou a viagem, viajaria ou procuraria um emprego?

Agora outra pergunta, desde quando um ano é suficiente pra conseguir ganhar dinheiro com um blog? Ou melhor, vamos a essas outras perguntas:

1 – Quanto tempo demora pra um bebê nascer e começar a falar?
2 – Quanto tempo temos que ficar numa faculdade (todo dia e várias horas por dia) para, talvez, conseguir um trampo que pague bem?
3 – Quanto tempo gastamos no trampo para conseguir um aumento?

Tudo tem uma curva de aprendizagem. Não é só criar o blog e pronto. Qualquer pessoa que quer ter sucesso no mundo digital tem que aprender uma série de outras técnicas e estratégias para fazer o projeto crescer, gerar valor, transformar vida e ser recomendado. E isto não é só com blog, é com qualquer coisa na vida.

Análise, crítica e dicas

Vamos a uma breve análise do blog da Mariana com respostas aos pontos que ela levantou:

Mariana, você escreveu: 1. Ter um blog para falar sobre você pode ser entediante.

Resposta: Você só tem este blog? Para ganhar meu pão de cada dia, PRECISO de pelo menos outro que possa ser mais genérico ou muito mais específico, e assim ter a chance de criar mais conteúdo. Afinal, pelo menos na internet, conteúdo é rei e distribuição/promoção a rainha.
Convido você ler este post a respeito: http://nomadan.org/criar-blog/

Ter um blog pessoal é ótimo, mas porque não ter outro(s)?
Viu o nome do blog que você mencionou? GarotaS EstúpidaS, e não Garota Estúpida. No mínimo, pode-se esperar mais de apenas uma autora no blog. Mais gente, mais conteúdo e promoção, mais alcance.

Além disso as pessoas tendem a se conectar mais com histórias do que com fatos e números. Várias pesquisas foram feitas e você pode encontrar no Google: Storytelling in Marketing.

Mariana, você escreveu: 2. Quando você se expõe, tudo pode acontecer.

Resposta: Verdade absoluta. Alías estou escrevendo isto. Estes são meus conselhos não solicitados para você e outras pessoas que querem criar ou já tem blog. Alías, de acordo com a Wikipedia, blog significa também discussão. Nunca vi discussão sem opinião.

Na verdade esse ponto não faz muito sentido, afinal todos sabemos que tudo que está online está aberto para todo mundo. Se você tem Facebook já está suscetível a receber críticas. Imagina um blog então!

Mariana, você escreveu: 3. Você precisa se vender o tempo todo.

Essa dica é tanto para esse ponto quanto ao anterior: Você é livre para abrir uma empresa! Sim, se prefere ter o escudo de uma empresa, por que não abrir uma?

Tendo uma empresa você vende ela e não você. Apesar que há uma ligação muito forte entre a pessoa física e jurídica, assim como há na sua imagem com a empresa que trabalhava. Afinal, você precisava ir de terninho. Essa é a imagem que estava vendendo, a SUA imagem profissional no terninho. Entende?

Além do mais, você precisa criar relacionamento. E é isso que faz você subir cargos na empresa e ganhar mais. A mesma coisa no mundo digital. Blog é para criar relacionamentos que irão lhe ajudar a ajudar mais pessoas.

E sim, se você falha na empresa que trabalha, o chefe vai cair em cima e pode até perder a carreira que anos para construir. Mas vou chegar no Ponto X logo abaixo.

Mariana, você escreveu: 4. Ter de ser brilhante o tempo todo também é muita pressão.

A empresa que você trabalha tem que ser brilhante o tempo todo, senão, perde clientes. Em um ambiente corporativo a pressão é muito maior. Não acho que seu chefe pressiona no mesmo nível que seus leitores! Me diz se já recebeu um email de um leitor dando bronca porque não publicou no blog?

Pelo contrário. Uma vez deixamos de publicar notícias por uma semana, em um site com 3-4 milhões de visitantes por mês. Recebemos emails de muita gente pedindo a gentileza para voltar a publicar. Isso foi motivador. Nada de pressão.

E pera aí, você não precisa se martirizar por não poder publicar algo ou mesmo porque não gostou do que escreveu. Como diria o mestre, feito é melhor que perfeito. Toda vez que eu ler esse texto vou encontrar coisas pra mudar e se não decidir publicar, vai ficar aqui nos rascunhos pra sempre.

Estabelecer metas é ótimo, mas se machucar por não alcançá-las é horrível. Todos temos falhas e precisamos aprender a viver com elas sem deixar de identificar maneiras de melhorar. Essa é a vida, erros e acertos.

Mariana, você escreveu: 5. Blogs são uma das piores maneiras de se ganhar dinheiro.

Absolutamente errado. Tudo depende da maneira que você faz.

1) Seu blog por exemplo tem 138 páginas indexadas no Google:
site:livingexperimentblog.com na busca
Garotas Estúpidas, que mencionou, tem mais de 50 mil!

2) Não encontrei no blog nenhum lugar para assinar via email e nenhum incentivo para acompanhar sua jornada.

3) Você escreveu algum ebook pelo menos? Fez vídeos? Não encontrei nada disso no blog. Só escrever posts com fotos funciona se você já tem seguidores, senão, é necessário diversificar! A internet evolui a todo momento e temos que acompanhar, assim como numa empresa. Temos que nos atualizar a todo momento.

É possível você criar um ebook com os próprios posts que já escreveu. Ou mesmo fazer um breve vídeo com seu celular com dicas exclusivas SUAS. Por exemplo, tenho certeza que várias mulheres gostariam de viajar como você, que tal fazer um vídeo com 3 dicas mais importantes e pedir o email delas em troca? Alguns anos atrás não tínhamos o Youtube, agora que temos, vamos aproveitar!

Lembrando que blog é nada mais que um site. Facebook é um site. Google é um site. O sucesso do seu site depende de como você o faz.

E o seu site/blog é apenas um canal para comunicar efetivamente seus produtos ou serviços.

O principal produto do Facebook e Google, é publicidade (venda de espaço publicitário).

Agora veja o caso do Paulo Coelho, que inclusive bloga frequentemente não somente em seu domínio paulocoelhoblog.com, mas também no G1, Youtube, Facebook. Seus produtos são os livros impressos, porque os digitais ele libera gratuitamente!

E novamente pra fixar, blog é um site. Blogar é adicionar conteúdo.

4) E aproveitando o ponto acima: é praticamente impossível fazer tudo sozinho.

Para alcançar 6 milhões de pessoas todos os meses eu conto com pessoas! Preciso delegar, confiar e investir!

Sabe a primeira coisa que um investidor olha em uma empresa quando pretende colocar seu suado dinheiro no jogo? Pessoas! O time. Este é o Ponto X que comentei acima e preciso reforçar. É a minha dica master deste post:

Não gaste seu dinheiro apenas em passagens aéreas, hotéis, passeios turísticos, alimentação exótica. Pense pessoas, pessoas e mais uma vez, pessoas!

Último ponto, número 6.

Você escreveu que nômades digitais são “Obrigados a morar em lugares onde o custo de vida é ridiculamente baixo”. Opa peraí. Por que você está viajando? Somos obrigados ou temos a chance de experienciar esse lugares? A CHANCE! É nela que começa. Afinal, se não fosse pela possibilidade e chance, eu ficaria preso a um trabalho que exigiria viver no mesmo lugar. Logo voltaria a trabalhar na agência na Nova Zelândia, com ótimo salário e sem a chance de experienciar outros lugares por mais tempo.

Afinal, se estou viajando, é em nome do conhecimento. E esse é muito difícil de adquirir com pouco tempo. Se o custo de vida é baixo, aproveita a reserva e investe em pessoas! No final deste post você vai entender o real motivo de morar em lugares como a Tailândia: http://nomadan.org/custo-vida-tailandia/

E minha última recomendação de leitura que pode mudar radicalmente sua mentalidade para todo o sempre, amém: http://nomadan.org/ganhar-dinheiro-online/

Ufa, terminei a resposta. Gostaria muito de saber se alguém pode acrescentar a essa discussão. Gosto de ler!

Um abraço e feliz jornada.
Dan Cortazio, do Starbucks em País de Gales.
Morando numa van, por escolha, não por necessidade, afinal, ainda tenho uma família que pode me acolher.
Ame sua missão…

Meu muito obrigado ao Cadu Cassaú pela colaboração e correção em algumas partes deste artigo. Gratidão mesmo!

Artigo anteriorCriar blog genérico ou de nicho? Leia antes de criar um blog
Próximo artigoComo economizo muito dinheiro viajando a Europa?
Com 14 anos foi cobrador de lotação e ajudante de pedreiro em Brasília. Depois carregador de cartucho em Curitiba. Já com 18 e verbo to be (e somente) dominado, foi morar na Nova Zelândia. Pra chegar lá trocou sites por passagem aérea e curso de inglês - buscou um mentor pra isso. Chegou quase sem dinheiro, por isso largou os estudos diários na escola para trabalhar. Pra aprender inglês usou esse livro e conviveu com gringos. E pra ganhar dinheiro lavou banheiro, carro e louça até encontrar um ótimo emprego numa agência de desenvolvimento web. Ficou 2 anos. Largou tudo para viajar o mundo pra sempre. Já visitou 38 países. Como? Seus sites na internet geram renda passiva. Parte de sua missão é viajar todos os países do mundo. Prometeu ajudar você pela internet. E por fazer isso, já é multi-milionário no Laos... [Leia mais]

14 Comentários

  1. Olá Dan!

    Eu não sou nenhum expert ,mas desde 2008 que comecei a fuçar/tentar criar projetos online e só no final de 2012 que comecei a levar a “sério”,pelo que li no seu artigo deu para perceber que ficou faltando alguma coisa nas explicações da pessoa citada.

    Pelo que entendi ela tinha uma boa reserva financeira para investir no blog e viajar , porém pelo foi dito no artigo é somente um blog.Não entendi como uma pessoa quer depender de uma única fonte de renda? Aquela frase clichê é para ser seguida “Não coloque todos os ovos na mesma cesta”.Devemos diversificar ao máximo nossas fontes de renda.

    Não sei não, mas será que ela não criou dezenas de blogs e esperava que eles começassem a gerar renda no piloto automático? Mas como 1 ano é pouco tempo para ter um projeto consolidado acabou por desanimar.

    Fico imaginando se eu tivesse o dinheiro que ela tinha para investir no começo estaria pulando de alegria, porém só tinha grana para o domínio e hospedagem rsrs :'(

    Outra coisa com o cascalho que tinha disponível ,por qual motivo não pensou em outros projetos que não seja um blog ,como um e-commerce? Um blog de nicho também seria bacana.

    Com disse não sou nenhum expert, peco muito na parte de usar um autoresponder,mas vou melhorando com o tempo 🙂

    Abraço!

  2. Opa Rafael, talvez não viu o link original do artigo. Acho bom ler antes e entenderá melhor os pontos.

    Mas justamente, em geral, acho faltou ela entender que blog é muito mais que apenas publicar experiências de viagem. E que se você tem dinheiro, é fundamental investir em pessoas. Elas que fazem as coisas acontecerem.

    E sim, é necessário diversificar.

    Um abraço e obrigado pela colaboração.

    • hahaha foi mal,ficou esquisito meu comentário no primeiro paragrafo eu não falei do seu artigo e sim do dela rsrs.

      No artigo ela explica meio que por cima e não fica evidente se ela se preparou, se sabia como criar um negocio online, se tinha amigos que sabiam e ajudaram a criar seu blog, se ela tinha conhecimento de pelo menos o básico,etc.

      Não ficou claro também se criou outros blogs,outros tipos de negócios ou só foi aqueles dois.

      Eu concordei com todos os 6 pontos que tiveram uma resposta sua.Só acrescentaria outros tipos de negócios como um e-commerce por exemplo.De acordo com a reserva dela de dinheiro daria para criar um.

      Na verdade meu comentário foi mais do artigo dela do que o seu, pois os argumentos dela me deixaram com as dúvidas que citei acima. 🙂

      Abraço!

      P.S. Por isso que é preciso revisar bem o que vai comentar/escrever já que pode ser interpretado de várias formas rsrs.

  3. Mas que alegria ao ler seu texto Dan! Adorei o jeito como argumenta os pontos que ela levantou de uma forma clara, sem sarcasmos ou insinuações. É muito bom saber que ainda tem gente provando que o esforço vale a pena 😀
    Li alguns outros textos seus e está de parabéns, ganhou uma fã! Merci beaucoup!

    • Quão bom é ler sua observação Dayane! Realmente tomei muito cuidado para motivar ao invés de apenas criticar.
      Espero que ela entenda e continue com o sonho que tinha no início.
      Muito obrigado por passar por aqui. Faça desse espaço, o seu. Gracias. =)

  4. Caro Dan… me peguei aqui…num domingo tedioso… apanhando do WordPress para publicar meu blog… com outros sites no forno (já tenho um meu profissional, mas que é irrelevante como fonte de renda, tenho por ter, e outros projetos que espero decolar). Andei meio desanimado porque virei o ano decidido a me voltar para a internet, comecei a ler, me inteirar, estudar…nos últimos dias optando pelo WordPress, apanhando de suporte de hospedagem (é duro quando se é leigo) e confesso que bateu desânimo avassalador…
    Não tinha lido este teu artigo ainda… e vc coloca com propriedade o paralelo empresa/blog… ou como devemos agira para que um site tenha “vida”… eu mesmo já estive em 2 empreitadas com empresas… e sei que é isso… investir em pessoas…e maturar a atividade para o resultado vir… Não desejo virar nômade (esta definitivamente não é minha missão de vida), mas quero encontrar a “mão” certa para dominar o ambiente de internet, e rentabilizar dali… e seu post me deu uma chacoalhada… vou parar por aqui, para dormir um sono de domingo menos entediante… forte abraço.

    • Fábio, fico feliz em saber que todo meu esforço em colocar em palavras o que realmente acredito tem surtido efeito. Espero muito que isso possa ajudar você e outras pessoas, verdadeiramente – com sinceridade mesmo. Obrigado por passar por aqui e deixar seus pensamentos. Não desanime – chame pessoas para entrar no barco contigo, encare as tempestades juntos. Um grande abraço!

  5. Confesso que gosto muito do blog Feliz da Vida e quando li o post referido tive a mesma impressão que você. Ela criou o famoso blog muleke, para brincar de escrever e não um negócio online. Ganhar grana com um blog não é difícil, é apenas trabalhoso.

  6. Acho toda experiência vâlida, em especial as negativas, para mantermos o pé no chão, mas pelo que percebi, ela tinha um altíssimo padrão de vida que achou que ia poder manter viajando (a menos que você tenha MUITO dinheiro, nível Kardashians e Hiltons, ainda assim viagens têm seus momentos de desconforto, imprevistos e cansaço) e, ainda por cima, manter esse padrão de vida apenas ~desfilando beleza~ na internet. Ela viajou o mundo. Isso é uma coisa. Ser nomade digital e TRABALHAR e VIVER de internet é outra. É um trabalho SIM. Tem responsabilidades SIM. E não, não é pra todo mundo.
    Lembro de um post seu que falava de “queimar as pontes” apenas quando tiver como se manter e acho que ela não entendeu muito bem isso…
    Ganho bem no meu trabalho, comecei meu blog agora (literalmente, esta semana) e faço projeção em 2 a 4 anos, junto com outros projetos, antes que possa viver sem trabalho fixo… conto pra vcs o resultado depois! Rs

DEIXE UMA RESPOSTA