O que Gandhi nos ensina sobre ganhar (mais) dinheiro com seu projeto online? Leia isto…

13

Gostaria de compartilhar algo que tenho experienciado no decorrer dos anos que trabalho com internet e o que Gandhi ensina sobre ganhar (mais) dinheiro online. Acredito que pode se arrepender se não ler! Sério.

Quando conheço alguém pela primeira vez, é quase inevitável ouvir a pergunta: “Qual a sua profissão?” ou “Como você consegue viajar por tanto tempo em sequência?

Sempre foi muito difícil responder pois apenas dizer que sou empreendedor é muito vago. Então quando não quero entrar muito em detalhes, ou deixar para explicar melhor no desenrolar do bate-papo, digo apenas que sou programador e que presto serviço para algumas empresas no Brasil. E realmente faço isso, mesmo que muito esporadicamente.

Mas ocasionalmente quando aprofundamos conversa, explico melhor que o que mais faço na verdade é compartilhar conteúdo e por conta disso ganho meu sustento.

E sabe, geralmente, qual a próxima pergunta? 

“Ganha dinheiro compartilhando conteúdo na internet? Como assim?”

E tento explicar um pouco como é possível. E depois geralmente vem outra:

“E quanto dá pra tirar?”

E aí é quando fico um pouco encabulado. De certa forma até decepcionado. Pois o grande motivo de compartilhar não é apenas o retorno financeiro. A quantia não é tão importante quanto o fato de ter uma voz com credibilidade que ajuda o próximo com sinceridade. Um nunca ajudará alguém enganando a si mesmo. Pois se você não acredita que tal produto pode transformar sua própria existência, como indicar a alguém?

Em qualquer área de atuação, se a prioridade for o dinheiro, provavelmente a atitude antiética sobressairá para suprir tal obsessão.

Mas entendo que geralmente as pessoas que perguntam “quanto dá pra tirar?” são aquelas que nunca empreenderam suas ideias a ponto de começar a receber dinheiro por isso. A maioria das vezes são assalariadas que talvez nunca ganharam ao menos bônus por melhor atuação. Logo, o conceito de ganhos via internet é algo surpreendemente estranho para muitas delas.

Em outras ocasiões existem algumas pessoas que me perguntam como fazer mais dinheiro online. E parte da responda é essa:

1) Diminua seus custos pessoais
2) Invista mais em pessoas

Não importa quanto você ganha, importa quanto você investe.

Matahma Gandhi, quando morreu, tinha menos de 10 pertences incluindo um relógio, óculos, sandálias e tigela de comida. Nem mesmo casa própria ele tinha.

“Você pode ter a oportunidade de possuir ou usar as coisas materiais, mas o segredo da vida está em nunca sentir falta delas.” ~ Gandhi

Gandhi nasceu em uma família próspera e teve uma educação privilegiada, que incluiu uma faculdade de prestígio na Inglaterra, em tempos que a viagem da Índia a Inglaterra levava muitos meses pelo mar. Ele estudou Direito na “University College”, em Londres, e foi convidado posteriormente a voltar para ensinar.

Alguns pertences de Gandhi (Foto por Antiquorum)
Alguns pertences de Gandhi (Foto por Antiquorum)

Só pela família, ele tinha acesso a muito dinheiro. Mas sua vida simples demostrou que não utilizou para suprir desejos materiais, mas sim ajudar milhões de pessoas tanto na Índia quanto no mundo.

Sua influência era enorme, mesmo não tendo uma mansão para esbanjar festas, roupas importadas ou carros para impressionar.

Existe essa história anedótica do momento em que Gandhi encontrou o Rei da Grã-Bretanha, em Londres, e ele usava um envoltório simples de pano.

Um jornalista perguntou: “Sr. Gandhi, você se sentiu ‘despido’ quando se encontrou com o Rei?”

Gandhi respondeu: “O rei estava usando roupas suficientes para nós dois!”

Comece a viver uma vida mais simples a partir de hoje – e você vai liberar uma grande quantidade de tempo e energia. Isto vai dar-lhe o espaço para criar a vida que você realmente deseja viver… uma vida que é inspirada e inspiradora.

Artigo anteriorO Google me possibilitou uma liberdade que nunca imaginei…
Próximo artigo142 ideias de nichos de mercado rentáveis
Com 14 anos foi cobrador de lotação e ajudante de pedreiro em Brasília. Depois carregador de cartucho em Curitiba. Já com 18 e verbo to be (e somente) dominado, foi morar na Nova Zelândia. Pra chegar lá trocou sites por passagem aérea e curso de inglês - buscou um mentor pra isso. Chegou quase sem dinheiro, por isso largou os estudos diários na escola para trabalhar. Pra aprender inglês usou esse livro e conviveu com gringos. E pra ganhar dinheiro lavou banheiro, carro e louça até encontrar um ótimo emprego numa agência de desenvolvimento web. Ficou 2 anos. Largou tudo para viajar o mundo pra sempre. Já visitou 38 países. Como? Seus sites na internet geram renda passiva. Parte de sua missão é viajar todos os países do mundo. Prometeu ajudar você pela internet. E por fazer isso, já é multi-milionário no Laos... [Leia mais]

13 Comentários

  1. Olá Dan!

    Eu acredito que tenha essa mentalidade de viver uma vida simples,porém algumas coisas eu gosto/gostaria de ter do melhor que são; um bom PC e Notebook rsrs.Não ligo muito para celular,porém seria bom ter um de qualidade para evitar de ter mais coisas,como uma câmera fotográfica por eemplo rs.

    Outra coisa é o conhecimento/estudo,nessa hora é bom ter um aboa quantia de dinheiro para fazer os cursos que queremos sem se preocupar de ficar no vermelho r :).

    Abraço!

    • Oi Rafael,
      Mas talvez você tem dinheiro pra isso. Basta economizar de um lado pra alcançar seu objetivo que é um bom computador e câmera fotográfica, por exemplo. Mas ter ou não essas coisas não impedem você de ser feliz fazendo o que gosta. E quanto a conhecimento temos o Google. Basta ter a vontade e tempo para pesquisar.

      Então o x da questão, é o tempo. Você só vai dedicar tempo de qualidade fazendo algo que gosta.
      Gandhi lia muito por exemplo. Acredito que era algo que ele gostava bastante. Talvez se ele estivesse trabalhando em algo que não gostava, nem tempo e energia teria pra dedicar a leitura e consequentemente influenciar tanta gente.

      Vou indicar esse artigo na Wikipedia: http://pt.wikipedia.org/wiki/Simplicidade_volunt%C3%A1ria
      O primeiro parágrafo:

      Vida simples ou simplicidade voluntária é um estilo de vida no qual os indivíduos conscientemente escolhem minimizar a preocupação com o “quanto mais melhor”, em termos de riqueza e consumo. Seus adeptos escolhem uma vida simples por diferentes razões que podem estar ligadas a espiritualidade, saúde, qualidade de vida e do tempo passado com a família e amigos, redução do stress, preservação do meio ambiente, justiça social ou anti-consumismo, enquanto outros escolhem viver mais simplesmente por preferência pessoal ou por razões econômicas – embora a vida simples seja essencialmente uma escolha e nada tenha a ver com “pobreza forçada”.

      Abraço e obrigado pelo comentário.

  2. Oi Dan, estou emocionada, vc descreve o tipo de pessoa que muda o mundo por estar nele!! Profissional que antes disso é um ser humano generoso e sabe muito bem o que é realmente bom na vida, isso mesmo , dinheiro não é TUDO , tenho em meu site 4better Digital muito humilde ainda , uma área que diz, em alguns videos que gravei, e artigos exemplares que eu acho , sobre ajudar o próximo realmente, e como expandir seu cliente criando produtos bons, e a perguntinha, você compraria seu produto? Muito obrigada por linkar Gandhi ( meu amado mestre) aos dias de hoje, era tudo que ELE queria!! gratidão, será qu eposso postar com seu link no meu site? [email protected]. grande abraço! Parabéns

  3. Olá Dan!

    Medito muito sobre esse assunto, certamente é duro ver a vida passar e você aí vivendo meu sonho rs.
    Brincadeira a parte, a vida é tão única pra ser mal vivida.
    Me identifico muito com o modo simples de viver, o que me permitiu juntar algum dinheiro.
    Por enquanto a responsabilidade com os que me cercam me impede de ser livre.
    Mas acredito sinceramente que vou viver algo assim.

    Cheguei ao seu site quando pesquisava sobre o custo de vida na Tailândia.
    Estava aqui fazendo as contas.

    Abraço

DEIXE UMA RESPOSTA