Saiba como criar um negócio escalável monetizando seu blog, Facebook ou twitter

7

Vou começar com minha breve história até chegar na conclusão que creio ser fundamental para você conseguir que seu blog, Facebook ou twitter se tornem a principal fonte de renda para seu sustento, ou ao menos parte dela.

Desde 2005 trabalho e ganho dinheiro pela internet. Comecei programando sites em PHP. Desenvolvi um CMS (Sistema de gerenciamento de conteúdo) próprio e vendia pessoalmente a licença para clientes. 

Sempre era necessário minha presença para fechar e assinar os contratos. Na maioria das vezes precisava dispor de grande parte do meu tempo para treinamento do sistema. Mas de certa forma estava cansado um pouco dessa atuação! Sabe por que?

Com o CMS fazíamos também o frontend do site, isso envolve o layout. A questão de criar um site para um cliente sem muito conhecimento técnico pode ser bastante saturante. A falta de entendimento do mesmo sobre a complexidade para alterar qualquer aspecto ou funcionalidade do site, leva a um ambiente desfavorável pois sinceramente sempre tive dificuldade para precificar meu tempo. Visualmente para o cliente é algo simples, mas de fato não é.

Se você é programador já deve ter ouvido isso por exemplo: “Mas tudo isso ($) para inserir 3 campos no cadastro de produtos?”
Se você é designer provavelmente isso: “Mas tudo isso ($) para fazer um bannerzinho desse tamanho?”

O cliente não entende que para alterar um simples formulário ou criar um banner é necessário diversas ações que demandam muito tempo. Além do conhecimento que também demanda tempo para adquirir.

Não leve a mal, continuo oferecendo meus serviços de customização de sites e até design quando quero e quando acredito no projeto. Mas esse modelo de negócios saturou um pouco pelo fato de que grande parte dos clientes não dão o devido valor.

Hoje minhas ações são direcionadas em obter resultado a longo prazo. Desta forma, minhas escolhas diárias são mais agradáveis. Mas só comecei a buscar essa nova maneira de trabalho depois que conheci o conceito “escalável“. Cassio Spina, hoje investidor anjo, dá uma boa definição:

Este conceito se aplica não só na fabricação de produtos, mas também na prestação de serviços que possam ser replicados sem demandar recursos (capital e/ou mão de obra) na mesma proporção do seu crescimento. Alguns exemplos de negócios escaláveis são os meios de comunicação, indústrias em geral, serviços de telecomunicações, etc., pois podem atender uma grande quantidade de clientes, utilizando uma estrutura básica comum a todos.

Por outro lado, exemplos de modelos de negócio pouco escaláveis são bares, restaurantes, serviços de consultoria, serviços pessoais, pois para atenderem mais clientes, precisam ter investimentos e aumento de equipe praticamente na mesma proporção do seu crescimento. Mas isto não significa que não possam ser criados negócios escaláveis para estes mercados.

Blog ou perfil social também são meios de comunicação

Logo no início tive a sorte de implementar esse CMS próprio em um site de um cliente que já entendia esse conceito escalável e publicava periodicamente diversas páginas de conteúdo. Com acesso ao Google Analytics pude acompanhar as visitas e percebi que quanto mais conteúdo era publicado, mais visitas conquistava e melhores resultados da venda de seus livros na loja virtual ligada ao site. Era proporcional, escalável e auto-sustentável. Perfeito!

Não demorou muito e logo iniciei meus próprios empreendimentos de comunicação em parceria com membros da família e amigos. Iniciamos com um blog e hoje, em 2013, após 7 anos, uma equipe fantástica e muitas funcionalidades implementadas, somos uma rede com dezenas de sites e um portal entre os 500 mais acessados do Brasil de acordo com o Alexa Rank.

3 maneiras de monetizar seu produto, ou seja, conteúdo

O produto de um meio de comunicação é seu próprio conteúdo. Não importa se é um blog ou apenas uma conta no Twitter. Então como monetizar? Basta vender esse produto/conteúdo:

  1. Conteúdo patrocinado: empresas querem que você transmita o conteúdo delas para sua audiência. Ex.: publieditoriais, recomendações de produtos, sorteios e promoções.
  2. Conteúdo com patrocínio: você transmiti seu conteúdo e empresas querem vincular junto a marca delas. Ex.: banners, links patrocinados.
  3. Conteúdo pago: você transmite seu conteúdo para um grupo que está disposto a pagar por ele. Ex.: venda de livros, cursos e assinaturas.

Conclusões

Acredito que para o sucesso a longo prazo de qualquer projeto é necessário recursos, traduzido aqui como dinheiro. Porém se essa for a principal razão do início do projeto, creio que não vai perdurar.

“Porque o amor ao dinheiro é a raiz de toda a espécie de males; e nessa cobiça alguns se desviaram da , e se traspassaram a si mesmos com muitas dores.” — 1 Timóteo 6:10-11 (Bíblia ACF)

O motivo número um para iniciar um projeto dever ser apenas a grande paixão por compartilhar seu conhecimento ou amplificar o conhecimento de outros.

“Feliz aquele que transfere o que sabe e aprende o que ensina” — Cora Coralina

O processo de monetização vem naturalmente, mas só depois que você constrói uma audiência através do processo de fornecer informação de qualidade sobre aquilo que você realmente acredita. Pois concorda comigo que relacionamento deve alicerçado no princípio da confiança?

Portanto, se em uma frase eu precisasse comunicar a principal maneira de monetizar seu meio de comunicação: pense menos no dinheiro e mais no valor que pode oferecer.

Se você leu esse post até aqui, por favor não deixe de comentar! É muito importante saber o que você pensa!

7 Comentários

  1. […] Mas você pode encontrar outros facilmente na net (ideias: grupos no Facebook e freela.com.br). Apesar que um amigo disse que os contatos do freela são sem compromisso, e isso é fundamental para manter consistência nas publicações e consequentemente conquistar audiência. Os meus contatos na lista que menciono acima foram na maioria por indicação e por um artigo que está muito bem posicionado no Google para os termos de pesquisa relacionados. Caso esteja curioso, aqui o link: http://inflar.com/vagas-para-escritores-freelancer/ – esse é o site da minha agência que iniciei em 2005 – fiz vários sites mas parei pois entendi o conceito de um negócio escalável. […]

  2. Realmente o que faz muitas pessoas desistirem na caminhada de um negócio online é pensar apenas no quanto elas vão ganhar! E quem tem sucesso hoje em dia na internet sabe que não é bem por ai que a carruagem anda.

    Eu acredito que se a informação (seja ela em artigo, publicação em redes sociais, etc) for realmente boa e agregar valor na vida de quem está recebendo, já é a maior parte do pagamento. O dinheiro que provém disso é apenas uma consequência.

    Se todos pensassem assim como você, estaríamos em um mundo bem melhor!

    Abraços!

DEIXE UMA RESPOSTA